SANGUE_Cruzado – ÚLTIMO_Capítulo

CAPÍTULO 45

UMA NOVELA DE JHEFF REIS

DIREÇÃO DE VINNY LOPES

228 - Cópia - Cópia (6)

GALPÃO ABANDONADO – DIA.

CONTINUAÇÃO…

PEDRO – A minha mãe me contou toda a verdade sobre você tia Elizabeth.

CRISTINA – Calma Pedro! Não contei toda a verdade.

PEDRO – Ainda há mais verdades a ser ditas?

CRISTINA – Sim! Pedro, eu não sou sua mãe.

PEDRO – Como não?

CRISTINA – A Elizabeth é a sua verdadeira mãe!

ELIZABETH – Isso é mentira! Eu nunca tive um filho.

CRISTINA – Teve Elizabeth!

ELIZABETH – Meu bebe era uma menina e nasceu morta!

CRISTINA – A mulher que fez seu parto era a minha madrinha Xispita. Ela me contou toda a verdade sobre o seu bebe. Naquela noite quando você deu a luz a um bebe, a sua patroa Célia, mandou a minha madrinha matar o seu filho. Só que ao invés de matar ela mandou abandonar a criança no meio da floresta.

ELIZABETH – Isso tudo mentira!

PEDRO – E como foi que você teve um filho?

CRISTINA – Logo depois que perdi meu filho, eu fui para a floresta chorar, eu estava desolada. Queria ter um filho. Foi quando vi um homem abandonar um saco próximo a uma arvore. E o meu primeiro namorado foi olhar o que tinha, e era um bebe. Ele não me deixou pegar e levar pra casa, só que na madrugada eu voltei lá e peguei a criança como meu filho.

ELIZABETH – Isso tudo é inversão dessa mulher.

CRISTINA – A Célia inventou a historia de que seu bebe era uma menina e que tinha morrido, Elizabeth.

PEDRO – E por que essa Célia fez isso com a Elizabeth?

CRISTINA – Por que a Elizabeth engravidou do marido dala.

PEDRO – Eu sou fruto de uma traição?

CRISTINA – Sim! (PARA ELIZABETH) – Naquela noite você jurou vingança, não me deixou falar. Jurou casar com meu filho e tomar tudo o que era dele. Só que você casou-se Elizabeth com o seu próprio filho!

ELIZABETH LEVANTA-SE E CONSEGUE FUGIR.

PEDRO – Ela esta fugindo!

CRISTINA – Deixa-a! Pode a deixar ir. Desculpa Pedro, por não ter contado isso antes. Fiquei nervosa quando foi me procurar pela primeira vez.

PEDRO – Ela nem desconfiou que as duas viagens que fiz foi para te conhecer.

CRISTINA – Eu ainda descobri que a Branca é minha irmã e da Elizabeth.

PEDRO – Branca? Mãe do Fernando?

CRISTINA – A própria! Ela filha de uma traição do meu pai. Agora vamos, a Elizabeth já fugiu e não temos mais nenhum segredo a ser revelado.

OS DOIS VÃO EMBORA.

 

 

CASAMENTO VERÔNICA E FERNANDO – EXTERNO – DIA.

GRAMADO DE UMA MANSÃO. MUITOS CONVIDADOS.

PADRE – “Fernando” queres receber “Verônica” por tua e lhe promete ser fiel, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-a e respeitando-a todos os dias de sua vida? 

FERNANDO – Sim!

PADRE – “Verônica” queres receber “Fernando” por teu e lhe promete ser fiel, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-o e respeitando-o todos os dias de sua vida? 

VERÔNICA – Sim!

AS ALIANÇAS;

PADRE – Deus abençoe estas alianças, que ides entregar um ao outro em sinal de amor e de fidelidade.

OS DOIS BEIJAM-SE.

BRANCA APARECE BEM DE LONGE. VERÔNICA À VÊ.

 

AEROPORTO – EMBARQUE – DIA.

JORGE E IVONE VÃO PARA FORTALEZA VISITAR A FAMÍLIA DELA.

JORGE – Eu não vou entrar nessa coisa, vai que cai?

IVONE – Vamos homem! Deixe de ser medroso, é seguro, não vai cair.

JORGE – O chão é seguro!

IVONE – Vamos! Lá dentro você toma um remédio pra dormir e quando a gente chegar lá eu te acordo.

JORGE (IGNORA) – Com que dinheiro você comprou essas passagens?

IVONE – Foi um dinheiro que o Dr. Pedro me deu há um tempo. Agora vamos.

IVONE E JORGE EMBARCAM NO AVIÃO.

 

MEIER – BOTECO DO JOAQUIM – DIA.

EUGÊNIA ESTÁ BÊBADA NO BOTECO. JOAQUIM CONVERSA COM ELA.

EUGÊNIA – Ingrata! Isso que a Ivone é. Foi pra Fortaleza vê os parentes e o pai, levou o Jorge e me deixou aqui.

JOAQUIM – A senhora sê da bem com seu ex-marido?

EUGÊNIA – Não! Mais eu ia passear pela cidade.

JOAQUIM – Foi por isso então que a Ivone não te levou.

EUGÊNIA – Me vê mais uma dose ai.

JOAQUIM – A senhora já bebeu demais dona Eugênia.

EUGÊNIA – Só comecei!

JOAQUIM – Eu vou levar a senhora pra casa.

JOAQUIM VEM A AJUDAR EUGÊNIA.

EUGÊNIA – Joaquim!

EUGÊNIA AGARRA JOAQUIM E O BEIJA.

 

CASA DE BRANCA – DIA.

BRANCA CHEGA A CASA. ELA COLOCA A BOLSA NO SOFÁ E SENTA-SE. A CASA TOTALMENTE VAZIA SOMENTE UM SOFÁ NO QUAL ESTA SENTADA.

BRANCA (CHORANDO) – Fiz muita besteira! Agora estou aqui sozinha. Até os moveis foram tirados de mim. O que que eu vou fazer da minha vida agora?

ELA PEGA O CELULAR E INICIA UMA LIGAÇÃO.

BRANCA – Fernando? Oi meu filho.

FERNANDO – Oi mãe! Como eu queria que você estivesse aqui. 

BRANCA – Meu filho me deixe falar com a Verônica, por favor.

FERNANDO PASSA O CELULAR PARA VERÔNICA.

VERÔNICA – Alô?

BRANCA – Oi Verônica! Sei que me viu no seu casamento. Não conta ao Fernando, por favor.

VERÔNICA – Vi sim. E por que não ficou e veio nos cumprimentar?

BRANCA – Depois de tanto te odiar, não achei justo ficar. Só quero te pedir desculpa por tudo o que fiz a você. Você tem motivos pra me odiar, mas eu te peço desculpa e te desejo muitas felicidades, que você possa fazer o meu filho o homem mais feliz desse mundo.

VERÔNICA – Eu nunca tive ódio de você! Tinha pena por você ser essa pessoa mesquinha, mas tudo já passou. Eu te agradeço pelos votos e te garanto que o Fernando será muito feliz, afinal ele será papai de gêmeos.

BRANCA – Eu vou ser avo?

VERÔNICA – Vai sim!

BRANCA – Que essas crianças venham com saúde.

VERÔNICA – Obrigada! Eu preciso desligar. Vou contar essa novidade ao Fernando.

BRANCA – Certo! Perdoe-me mais uma vez por tudo. Tchau.

VERÔNICA – Tchau!

BRANCA ENCERRA A CHAMADA. ELA DEITA-SE NO SOFÁ.

 

FÓRUM – JULGAMENTO DE ESTHER – DIA.

ESTHER ESPERA A SENTENÇA DO JUIZ.

JUIZ – Diante do exposto, julgo procedentes todos os pedido contidos na denuncia. Considero a acusada Esther Góes culpada! Em sequencia a condeno ao cumprimento de pena privativa de liberdade de trinta anos de reclusão em regime fechado.

ESTHER É LEVADA. ELA OLHA PARA O LADO E VÊ IAGO. ELA O ENCARA.

 

DUAS SEMANAS DEPOIS…

FORTALEZA – CEARA – DIA.

JORGE E IVONE PASSEIAM. IVONE ENCOSTA NUMA BARRACA

IVONE – Por favor, um cachorro quente!

CARMEMJOSEFINA – Ivone?

IVONE – Carmem?

CARMEMJOSEFINA – Jorge?

ELES SE ENCARAM.

 

PARIS – TORRE EIFFEL – NOITE.

CRISTINA E PEDRO PASSEIAM DE BRAÇOS DADOS EM PARIS.

CRISTINA – Eu ainda descobri que a Elizabeth matou o papai. Ela inventou tudo. A Branca me contou toda a verdade.

PEDRO – Em pensar que a Elizabeth é a minha verdadeira mãe e não você.

CRISTINA – Sou sua mãe sim! Olha lá, em? Foi eu que te criei com meu filho. Você é meu sobrinho filho.

OS DOIS RIEM.

PEDRO – Falando em Branca, o Fernando vai ser papai de gêmeos.

CRISTINA – Nossa que lindo.

PEDRO – A Verônica me ligou e contou a novidade. Disse ainda que a Branca mudou. Pediu desculpas por tudo, e que agora eles são uma família unida e feliz.

CRISTINA – Que eles sejam muito felizes!

PEDRO (IGNORA) – Onde será que esta a Elizabeth, em?

UMA MULHER ESBARRA EM PEDRO.

MULHER – Desculpa.

A MULHER SEGUE COM UM RAPAZ AO LADO.

PEDRO – É a…

CRISTINA (INTERROMPENDO) – Não filho! Não é.

PEDRO E CRISTINA CONTINUAM ANDANDO.

CRISTINA OLHA PARA TRÁS E ACENA PARA ELIZABETH COM IAGO.

ELIZABETH (LABIAL)– Te Amo!

CRISTINA – Te amo muito!

CRISTINA SEGUE COM PEDRO.

ELIZABETH E IAGO PARAM.

IAGO – Esta gostando da viagem?

ELIZABETH – Estou amando!

ELES SE BEIJAM.

SANGUE_Cruzado

ADNTV

SANGUE_Cruzado – PENÚLTIMO_Capítulo

CAPÍTULO 44

UMA NOVELA DE JHEFF REIS

DIREÇÃO DE VINNY LOPES

228 - Cópia - Cópia (6)

MEIER – CASA DE IVONE – DIA

JORGE CHEGA A CASA DE IVONE.

JORGE (CHEGANDO) – Mandou m chamar?

IVONE – Mandei sim! Quero te pedir desculpa por ter de colocado pra fora daquele jeito.

JORGE – Eu te disse que você ia se arrepender do que estava fazendo.

IVONE – A Carmem armou tudo com a Elizabeth. Elas estavam planejando isso há tempos. Você viu o que eu fiz com a Carmem. Ouviu toda a verdade.

JORGE – Não precisava daquilo pra a verdade ser dita. Violência não leva a nada.

IVONE – Me perdoa Jorge? Volta pra casa, esquece tudo e vamos viver bem como sempre foi.

CHEGA EUGÊNIA.

EUGÊNIA (CHEGANDO) – Minha filha não faz uma besteira dessas. Esse cafajeste não te merece.

IVONE – A senhora tem que para de ficar ouvindo minhas conversas, e de ficar tentando decidir a minha vida.

EUGÊNIA – Depois não venha corando. Não vou ficar ouvindo suas lamentações por causa desse ai.

IVONE – Tá mamãe. Deixa eu me resolver com o Jorge, por favor?

EUGÊNIA VAI EMBORA.

IVONE – Então Jorge, você me perdoa?

JORGE – Não tenho nada que perdoar. Tudo isso é prova de que eu sempre te amei e nunca te trai.

IVONE E JORGE ABRACAM-SE.

IVONE – Desculpa por tudo!

IVONE CHORA ABRAÇADA COM JORGE.

 

CASA DE ESTHER – DIA.

ALGUÉM BATE A PORTA. ESTHER ATENDE.

POLICIAL – Bom dia!

ESTHER – Bom dia!

POLICIAL – Senhora Esther?

ESTHER – Sou eu!

POLICIAL – A senhora está presa pela morte do seu marido Josué. Queira me acompanhar, por favor.

ESTHER ENTRA CORRENDO PRO QUARTO. O POLICIAL VAI ATRÁS.

ESTHER PEGA UMA ARMA NO CRIADO-MUDO E ATIRA CONTRA O POLICIAL, QUE SE ESCONDE NA PAREDE.

POLICIAL – Isso só te prejudica ainda mais Esther!

ESTHER – Eu não vou pra cadeia!

ESTHER CONTINUA ATIRANDO.

POLICIAL – Se entregue numa boa.

POLICIAL ACERTA DOIS TIROS EM ESTHER QUE CAI. A ARMA CAI LONGE.

POLICIAL (ENTRANDO NO QUARTO) – A senhora está presa!

POLICIAL ALGEMA ESTHER E CHAMA AJUDA.

 

MEIER – BOTECO DE JOAQUIM – DIA.

 

CARMEM ESTÁ NO BOTECO COM JOAQUIM. ELA VÊ JORGE E IVONE NA PORTA DE CASA JUNTOS.

CARMEM – Olha seu Joaquim. Shrek e Fiona voltaram a se entender.

JOAQUIM – Dona Carmem não fala isso dos meus amigos.

CARMEM – Ah seu Joaquim, o senhor é da mesma laia deles.

CARMEM SE LEVANTA E VAI PRA RUA EM DIREÇÃO A JORGE E IVONE.

CORTA PARA; RUA.

CARMEM (ANDANDO) – Pelo visto a Fiona já decidiu o que vai realmente ser. Uma ogra! Parabéns Shrek conseguiu fazer a cabeça a da ex-princesa a se tornar uma baranga.

JORGE – Vai embora Carmem! Nos deixe em paz.

IVONE – Foi pouco a surra? Quer mais tem aqui!

UM HOMEM APARECE.

AMAZONAS– Josefina?

CARMEM Josefina – Amazonas?

AMAZONAS – Te achei mulher! Estou te procurando a mais de léguas.

CARMEM Josefina – O que você esta fazendo aqui?

AMAZONAS – Vim buscar você meu amor! (PARA JORGE E IVONE) Bom dia amigos?!

IVONE – Bom dia! Josefina? Esse é o nome dela?

AMAZONAS– É sim! Prazer sou Amazonas, marido de Josefina.

IVONE – Então Carmem, ou melhor, dizendo Josefina, você é casada?

AMAZONAS – Casada e muito bem casada. (PARA CARMEM “JOSEFINA”) Meu amor eu te procurei tanto. Você saiu pra comprar cigarro e levou meses. Até hoje eu esperei você voltar com o cigarro.

CARMEM Josefina – Me esquece, Amazonas! Eu não vou voltar.

AMAZONAS – Vai sim! Trouxe ate o primo Romildo pra te buscar. Vamo.

AMAZONAS LEVA CARMEM “Josefina”.

CARMEM Josefina” (GRITANDO) – SOCORRO! Ivone, Jorge não deixem ele me levar.

IVONE – Boa sorte Josefina!

AMAZONAS PÕE CARMEM NUM FUSCA E VAI EMBORA.

 

GALPÃO ABANDONADO – PARTE EXTERNA – DIA

PEDRO ESTA O LADO DE FORA. O CELULAR DELE TOCA.

PEDRO (ATENDENDO)– Oi Fernando?

FERNANDO – Amigo, tenho boas noticias. O juiz anulou a sentença. A Elizabeth não tem mais nada, tudo volta a ser seu.

PEDRO – Obrigado! Obrigado mesmo! Tenho que desligar.

FERNANDO – Ok

PEDRO ENCERRA A CHAMADA.

CORTA PARA; PARTE INTERNA DO GALPÃO.

ELIZABETH – Cristina, você esta viva? (BATE NO PORTÃO) Pedro? Pedro me tira daqui!

UMA LUZ ASCENDE. É PEDRO.

ELIZABETH – Seu desgraçado me tira daqui!

ELIZABETH PARTE PRA CIMA, MAS NÃO CONSEGUE TOCAR.

ELIZABETH – Como assim?

PEDRO – É apenas projeção Elizabeth!

ELIZABETH – Então a Cristina não esta vivia?

CRISTINA APARECE ATRÁS DE ELIZABETH.

CRISTINA (AO PÉ DO OUVIDO DE ELIZABETH /  EMPURRA) – Quem disse que não?

ELIZABETH CAI.

AS LUZES SE ASCENDEM. PEDRO E CRISTINA FICA UM AO LADO DO OUTRO.

ELIZABETH (ASSUSTADA) – Como isso é possível? Eu matei você naquela noite sua desgraçada!

CRISTINA – Claro que não! A Margarida viu tudo e me salvou.

PEDRO – É titia Elizabeth pra você acabou!

ELIZABETH AINDA NO CHÃO, OLHA ASSUSTADA PARA PEDRO.

870ca-fimdocap

DE SEGUNDA À SEXTA ÀS 22 HORAS

ADNTV

 

SANGUE_Cruzado – CAPÍTULO 43 – ÚLTIMOS_Capítulos

228 - Cópia - Cópia (6)

UMA NOVELA DE JHEFF REIS

DIREÇÃO DE VINNY LOPES

CASA DE ESTHER – SALA – DIA.

CONTINUAÇÃO

ELIZABETH ACERTOU UMA TAPA NO ROSTO DE ESTHER.

ELIZABETH – Pelo que vejo alguém já bateu em você hoje. Foi o Carlos num foi?

ESTHER – O Carlos está morto!

ELIZABETH – Morto? Como assim? O que foi que você fez com ele?

ESTHER – Ele me sequestrou e jogou o carro numa ribanceira. Eu consegui sair a tempo. E aquele filho da puta ficou lá preso. Morreu queimado depois que o carro explodiu.

ELIZABETH – Não precisa se preocupar eu vou vingar o Carlos.

ELIZABETH SOBRE EM ESTHER, IMOBILIZA-A E DÁ MUITO NA CARA DELA.

ELIZABETH (EM CIMA DE ESTHER) – Isso é pelo Pedro, essa pelo Carlos. Mais uma bolacha na cara; esta, ainda mais forte. E essa é pelo Iago!

ELIZABETH EXAUSTA SAI DE CIMA DE ESTHER.

ELIZABETH (EXAUSTA) – Agora sua vadia, vê se não mexe mais comigo.

ELIZABETH SE AJEITA E VAI EMBORA.

 

MEIER – RUA – DIA.

IVONE CHEGA AO BAIRRO, IRRITADA. VAI DIRETO PRA CASA DE CARMEM.

EUGÊNIA (NA PORTA DE CASA) – Minha filha o que aconteceu?

IVONE (SEGUINDO PARA A CASA DE CARMEM) – A Senhora já vai saber mamãe.

CORTA PARA; CASA DE CARMEM.

CARMEM – Ivone?

IVONE PEGA CARMEM PELO CABELO E ARRASTA PARA A RUA, E A JOGA NO CHÃO.

CARMEM (NO CHÃO) – O que aconteceu?

IVONE (IRRITADA) – Vagabunda! Você acabou com a minha vida!

IVONE ACERTA UM TAPÃO NA CARA DE CARMEM.

IVONE (GRITANDO) – Tá vendo aqui gente? Essa é uma vagabunda, pau mandado! Estava sendo paga pra acabar com meu casamento com o Jorge.

JORGE E JOAQUIM OBSERVAM TUDO DO BOTECO.

A RUA COMEÇA A ENCHER DE GENTE.

IVONE ACERTA OUTRA TAPA.

IVONE (GRITANDO)– Colocou peças de carros roubado na oficina do Jorge pra incriminar ele!

EUGÊNIA – Eu falei!

IVONE (GRITANDO)– E agora vai apanhar na frente de vocês pra deixar de ser vagabunda.

IVONE ACERTA OUTRA TAPA E PUXA CARMEM PELOS CABELOS.

IVONE (GRITANDO)– Esse é o tratamento que vagabunda merece! Apanhar na frente da plateia.

IVONE, EM CIMA DE ESTHER BATE AINDA MAIS.

ALGUÉM (GRITANDO) – Bate mais!

IVONE CONTINUA BATENDO EM CARMEM.

JORGE APARECE E TIRA IVONE DE CIMA DA CARMEM.

IVONE – Me solta Jorge!

JORGE (SEGURANDO IVONE) – Não precisa isso!

IVONE – Me solta!

JORGE SOLTA IVONE QUE VAI PRA CASA.

JORGE APENAS OBSERVA.

 

CASA DE VERÔNICA – DIA.

VERÔNICA E FERNANDO TOMÃO CAFÉ.

CHEGA PEDRO.

PEDRO – Bom dia?!

VERÔNICA E FERNANDO – Bom dia!

PEDRO (SENTANDO) – Eu preciso da ajuda de você!

VERÔNICA – Em que?

PEDRO – Eu preciso que vocês me ajudem a recuperar tudo o que é meu.

FERNANDO – Como é que vamos fazer isso? Essa analise pode durar meses!

PEDRO – Eu conversei ontem com o juiz do caso. É o Juiz Alberto. Ele me falou que o advogado da Elizabeth entregou uma assinatura antiga e que poucos critérios foram usados na hora da sentença. Então eu falei a ele que tinha uma mais recente e original. Foi ai que ele pediu pra que eu enviasse hoje para analise e que hoje mesmo daria uma nova sentença caso eu consiga provar que a assinatura apresentada pela Elizabeth seja falas. Agora eu só preciso que levem essa assinatura até o Juiz.

VERÔNICA (LEVANTANDO-SE) – Nós vamos sim! Vamos Fernando.

OS DOIS LEVANTAM SE.

PEDRO – Obrigado gente!

PEDRO TAMBÉM LEVANTA-SE E VAI PRO QUARTO.

 

GINÁSIO VÔLEI – ARQUIBANCADA /QUADRA – DIA.

LIZ VOLTOU A TREINAR COM O TIME. SILVIO ASSISTE A FILHA.

LIZ VEM ATÉ A ARQUIBANCADA CONVERSAR COM SILVIO.

SILVIO – É lindo te vê de volta a quadra. E aquele medico dizendo que você poderia ficar paraplégica. Queria vê a cara dele agora.

LIZ – Nem eu acreditei que voltaria! E só estou aqui graças a você pai. Se dependesse da minha mãe eu nem jogava.

SILVIO – A Branca só liga para os interesses dela.

LIZ (IGNORA) – Pai, eu tenho uma coisa importe pra te falar.

SILVIO – Pode falar! O que aconteceu?

LIZ – É que assim… eu estou gostando de uma pessoa.

SILVIO – Que bom filha! E quem é o sortudo que ganhou seu coração?

LIZ – É sobre isso que u quero falar. Na verdade não é um sortudo. É uma sortuda!

SILVIO (SURPRESO) – Sortuda? É uma garota?

LIZ – Sim! Nós já estamos nos conhecendo há três meses!

SILVIO – E você esta feliz com essa escolha? É isso que você quer pra sua vida?

LIZ – Sim papai!

SILVIO – Que bom, então!

LIZ – Não esta bravo, ou surpreso?

SILVIO – Confesso que estou um pouco surpreso, mas não bravo! Sou seu pai e não vou deixar de ser por causa disso. Quero apenas a sua felicidade e se você tem certeza do que quer e isso te faz feliz… Eu te apoio.

LIZ – Obrigada!

OS DOIS SE ABRAÇAM. SILVIO ESTA EMOCIONADO.

 

CASA DE ELIZABETH – QUARTO – DIA.

ELIZABETH SAIU DO BANHO.

ELA VESTE-SE.

PEDRO ENTRA NO QUARTO ARMADO.

ELIZABETH (ASSUSTADA) – Pedro? O que você esta fazendo aqui e com essa arma? Pedro abaixa isso.

PEDRO – Chegou a hora da verdade Elizabeth!

ELIZABETH – Verdade? Que verdade?

PEDRO – Você vem comigo!

PEDRO LEVA ELIZABETH.

CORTA PARA; GALPÕES ABANDONADOS.

PEDRO (EMPURRANDO) – Entra ai!

GALPÃO TOTALMENTE ESCURO.

ELIZABETH (DESESPERADA, BATE NO PORTÃO)– Pedro? Pedro? Tire-me daqui.

UMA LUZ SE ASCENDE.

ELIZABETH – Você?

ELIZABETH ENCARA, NÃO ACREDITANDO.

870ca-fimdocap

DE SEGUNDA À SEXTA ÀS 22 HORAS

ADNTV

SANGUE_Cruzado – CAPÍTULO 42 – ÚLTIMA_Semana

228 - Cópia - Cópia (6)

UMA NOVELA DE JHEFF REIS

DIREÇÃO DE VINNY LOPES

BEIRA DE ESTRADA – BEIRA DA ESTRADA – NOITE

POLICIA, PERICIA E IML ESTÃO NO LOCAL.

ESTHER AINDA EM CHOQUE.

POLICIAL – O que foi que aconteceu?

ESTHER (CHORANDO) – Ele é meu ex-namorado! Ele não aceitou o fim do nosso relacionamento e me sequestrou.

POLICIAL – Perdeu o controle do carro?

ESTHER (CHORANDO) – Ele pretendia nós matar! Ele cortou o freio do carro antes de me sequestrar.

POLICIAL – E o que causou o acidente?

ESTHER (CHORANDO) – Eu estava com medo de morre, então puxei o freio de mão, foi ai que o carro capotou e caiu nessa ribanceira.

POLICIAL – Como conseguiu escapar?

ESTHER (CHORANDO) – Eu não sei! Eu até tentei ajudar ele a sair, só que ele estava desacordado.

POLICIAL CONTINUA INTERROGANDO ESTHER.

 

CASA DE PEDRO – NOITE

PEDRO DESCE AS ESCADAS COM MALAS.

ELIZABETH – Já conseguiu ao menos um lugar pra ficar?

PEDRO – Claro que não! Você m pegou de surpresa.

ELIZABETH – Tem a casa da Esther! Por que não vai atrás dela?

PEDRO – Não! Eu vou procurar meus verdadeiros amigos. E a proposito, eu sei que não foi ela quem bateu em você.

ELIZABETH – É! não foi. Como descobriu?

PEDRO – A Ivone me contou a verdade!

ELIZABETH – Já esperava! A Ivone nunca gostou de mim, e nem eu dela.

PEDRO – Ela me contou tudo quando foi tirar o marido dela da cadeia.

ELIZABETH – Acho melhor você ir logo embora.

PEDRO – O que você esta fazendo comigo não é certo.

ELIZABETH – Claro que é!

PEDRO – Elizabeth, eu te ajudei quando você mais precisou.

ELIZABETH – Foi boa a sua intenção. Mas já passou.

PEDRO – É só isso que tem a me dizer?

ELIZABETH – Sim! Tchau Pedro, por favor.

PEDRO – Tchau.

PEDRO VAI EMBORA. ELIZABETH PEGA O CELULAR E FAZ UMA LIGAÇÃO.

CORTA PARA; CASA DE IVONE.

IVONE – Alô?!

ELIZABETH – Ivone?

IVONE – Elizabeth?

ELIZABETH – Não desliga, por favor. Quero que venha até a minha casa.

IVONE – Não tenho nada pra fazer ai!

ELIZABETH – Eu preciso que venha. Garanto que é do seu interesse!

IVONE – O que é de tão importante que eu não posso saber por telefone?

ELIZABETH – É uma coisa que envolve a sua vida e de sua família.

IVONE FICA EM SILÊNCIO POR ALGUNS SEGUNDOS.

ELIZABETH – Então?

IVONE – Amanhã eu vou a te ai.

ENCERRA A CHAMADA.

CASA DE VERÔNICA – NOITE.

PEDRO BATE NA PORTA. FERNANDO ATENDE.

FERNANDO – Pedro?

PEDRO – Oi Fernando! Posso entrar?

FERNANDO – Claro! Por favor.

PEDRO ENTRA E FERNANDO FECHA A PORTA.

PEDRO – Boa noite Verônica?!

VERÔNICA – Boa noite! O que são essas malas?

PEDRO – A Elizabeth tomou todos os meus bens e me colocou pra fora de casa.

VERÔNICA – Como?

PEDRO – É! E agora estou sem onde ficar. Será que posso ficar aqui até eu me resolver?

VERÔNICA – Pedro, assim… Eu fui demitida da sua empresa.

PEDRO – Demitida?

VERÔNICA – Uma secretaria “nova” sua me demitiu.

PEDRO – Mais eu não tenho uma “nova” secretaria e não mandei te demitir! Tudo bem. Já que eu não posso ficar aqui vou arrumar outro lugar.

VERÔNICA – Eu não falei que não poderia ficar. Claro que pode, somo amigos! Eu só quis mesmo esclarecer o que chegou até mim.

FERNANDO – Pode ficar no quarto de hospedes. Ai você se ajeita e depois vê o que vai fazer.

PEDRO – Obrigado gente! Muito obrigado mesmo. Você são amigos de verdade.

FERNANDO LEVA AS MALAS DE PEDRO PARA O QUARTO.

 

A NOITE SE PASSA…

DIA SEGUINTE!

CASA DE ELIZABETH – SALA DE JANTAR – DIA.

ELIZABETH TOMA CAFÉ DA MANHÃ. IVONE ENTRA PELA COZINHA.

ELIZABETH – Que susto!

IVONE – O que você quer?

ELIZABETH – Sente se e tome um café comigo.

IVONE – Já tomei café.

ELIZABETH – Ao menos sente se.

IVONE SE SENTA.

ELIZABETH – Eu sou tia do Pedro!

IVONE – O que?

ELIZABETH – Eu sou tia do Pedro! Eu sou irmã da mãe dele. Eu matei a mãe dele.

IVONE – Isso é incesto!

ELIZABETH – Eu sei! Fiz isso por vingança. Prometi a Cristina que casaria com o filho dela e acabaria com a vida dele.  Foi o que eu fiz. Essa casa e tudo o que era do Pedro, agora é meu!

IVONE – Como à senhora tem coragem de fazer isso?

ELIZABETH – Fiz coisa bem pior! Eu matei o seu irmão, matei aquela mulher que veio aqui em casa, a Margarida, e a Branca é a minha irmã.

IVONE – A senhora tem que pagar pelos seu erros!

ELIZABETH – E a Carmem…

IVONE (INTERROMPENDO) – O que tem ela?

ELIZABETH – Eu a contratei, pra te vigiar de perto! A contratei também pra separar você do seu marido.

IVONE – Então o flagra que eu dei no Jorge com ela foi a mando da senhora?

ELIZABETH – Claro que foi! E as peças de carros roubados fui eu que mandei a Carmem implantar lá na oficina do seu marido. Ai eu fiz uma denuncia e o querido foi pra cadeia. Eu não podia deixar aquela surra que você m deu por isso mesmo.

IVONE – A senhora vai pra cadeia! E a sua amiga também!

ELIZABETH – O que te dá tanta certeza disso?

IVONE – Eu vou denunciar a senhora a policia.

ELIZABETH – Faz isso! Vai lá. Eu sou rica minha querida. E no Brasil manda quem tem dinheiro. Agora me dê licença que eu tenho outro caso para resolver.

ELIZABETH LEVANTA-SE E SAI DE CASA.

IVONE TAMBÉM VAI EMBORA.

 

CASA DE ESTHER – DIA.

TOCA A CAMPAINHA. ESTHER AINDA MACHUCADA ATENDE.

ESTHER – Elizabeth?

ELIZABETH – Bom dia querida?!

ELIZABETH ACERTA UMA TAPA NO ROSTO DE ESTHER QUE CAI NO SOFÁ.

ESTHER (SEM ENTENDER) – O que é isso?

ELIZABETH FECHA A PORTA E ENCARA ESTHER.

870ca-fimdocap

DE SEGUNDA À SEXTA ÀS 22 HORAS

ADNTV

SANGUE_Cruzado – CAPÍTULO 41 – ÚLTIMA_Semana

228 - Cópia - Cópia (6)

UMA NOVELA DE JHEFF REIS

DIREÇÃO DE VINNY LOPES

ESTRADA DESERTA – NOITE.

ELIZABETH LEVA MARGARIDA PARA O MEIO DO MATO.

MARGARIDA (AINDA SENTINDO A PANCADA) – O que você vai fazer comigo Elizabeth? Não me mata, por favor.

ELIZABETH – Vou te ensinar a não mexer comigo.

ELIZABETH JOGA MARGARIDA NO CHÃO.

ELIZABETH – Você mentiu esse tempo todo, né sua vadia? Chantageando-me e eu descobri que você é ainda mais podre que eu!

MARGARIDA – Do que você esta falando?

ELIZABETH – Descobri que você já teve passagem pela policia por trafico de drogas.

MARGARIDA – Como você descobriu?

ELIZABETH – Tenho amigos o suficiente para saber o nome da tinta de cabelo que você usou.

MARGARIDA – Desgraçada!

ELIZABETH – Sei também que seu nome não é Margarida! Não é mesmo Maria Isabel?

MARIA ISABEL MARGARIDA– Tive que inventar um nome pra que você não conseguisse achar nada sobre mim.

ELIZABETH – Sua rata miserável. Eu vou acabar com você.

ELIZABETH DISPARA CINCO TIROS EM “MARGARIDA”.

ELIZABETH – Que o diabo te receba de braços abertos.

ELIZABETH ENTRA NO CARRO E VAI EMBORA.

 

CASA DE PEDRO – NOITE.

PEDRO CHEGA A CASA.

PEDRO – Elizabeth? Elizabeth?

OLHA A SALA DE JANTAR E VOLTA A SALA DE ESTAR.

PEDRO – Saiu uma hora dessas?

PEDRO PEGA O CELULAR E LIGA PARA ESTHER.

“O número para o qual você ligou esta fora de área ou desligado!”

PEDRO – Que droga!

 

CASA DE IVONE – NOITE.

JORGE VOLTA A CASA DE IVONE.

JORGE (ENTRANDO) – Ivone você pode me explicar por que você esta fazendo isso comigo?

IVONE – Eu não já te coloquei pra fora?

EUGÊNIA – É! Sai a minha filha não quer mais nada com você.

JORGE – A Carmem armou tudo Ivone! Eu te amo e nunca faria isso com você.

IVONE – Ama tanto que fez! Sai da minha casa agora!

JORGE – Ela me dopou e armou tudo. Eu juro que não me lembro de nada. A última coisa que eu lembro foi de estar no bar bebendo com ela.

EUGÊNIA – Ela nunca prestou! Eu sempre falei isso a Ivone. E você Jorge não fica atrás. Nunca falou a verdade para sua mulher sobre os assédios daquela vaca.

JORGE – Dona Eugênia não piora as coisas, por favor.

IVONE – Jorge sai da minha casa! Vai atrás da Carmem.

JORGE – Ivone meu amor me perdoa.

IVONE – Sai daqui Jorge!

EUGÊNIA – Sai!

JORGE – Você vai se arrepender do que você esta fazendo.

IVONE – Você que vai se arrepender do que você fez comigo.

JORGE – Mais eu não fiz nada, Droga!

IVONE – Vai embora, por favor!

JORGE – Tudo bem!

JORGE VAI EMBORA. IVONE CHORA.

CARRO DE CARLOS – ESTRADA – NOITE.

CARLOS DIRIGE EM ALTA VELOCIDADE.

ESTHER (COM MEDO) – Carlos você esta indo muito rápido. Vai acabar causando um acidente.

CARLOS (IRRITADO) – Cala bica sua vadia!

ESTHER (COM MEDO) – Carlos, por favor, tenha calma! Reduz a velocidade desse carro.

CARLOS (IRRITADO) – Já mandei calar a boca!

ESTHER (COM MEDO) – O que você pretende com isso? Vai acabar nos matando.

CARLOS (IRRITADO) – Não se preocupe. Vamos pro inferno juntos! O diabo já esta esperando por nos.

ESTHER (COM MEDO) – Do que é que você esta falando? Carlos você esta cego de ódio. Para esse carro e vamos conversar.

CARLOS (IRRITADO) – Eu tirei o freio do carro! Agora só vamos parar para morte!

ESTHER (COM MEDO) – O que? Você ficou maluco?

CARLOS (IRRITADO) – É amor! Estou retribuindo os tiros que você deu mim.

ESTHER PUXA O FREIO DE MÃO.

O CARRO CAPOTA NA PISTA E CAI NUMA RIBANCEIRA.

O CARRO CONTINUA A ROLAR E PARA DE CABEÇA PARA BAIXO.

 

CASA DE PEDRO – NOITE.

PEDRO ESTA SENTADA NO SOFÁ. ELIZABETH CHEGA.

PEDRO – Onde você estava? Por que esta suja de lama?

ELIZABETH – Não lhe devo satisfações!

PEDRO – Deve sim! Você é a minha esposa.

ELIZABETH – Não devo não! E ser sua esposa é um mero detalhe, levando em conta de que tudo o que era seu agora é meu! Quer sair, por favor, da minha casa?

PEDRO – Como assim? Essa casa é nossa!

ELIZABETH – Não é mais! Eu consegui passar tudo para o meu nome.

PEDRO – O que? Elizabeth você falsificou documentos para fazer isso?

ELIZABETH – Eu consegui uma assinatura da sua mãe, onde ela passa toda a herança pra mim.

PEDRO – Você conhece a minha mãe?

ELIZABETH – Ela foi uma vadia que passou na minha vida. Agora, fora da minha casa! Fora da minha empresa!

PEDRO ENCARA ELIZABETH.

PEDRO – Você me usou esse tempo todo?

ELIZABETH – Usei! E foi de boa serventia!

PEDRO – Então você nunca me amou de verdade?

ELIZABETH – Claro que não! Eu fiz o que a Esther pretendia. Só que eu fiz bem feito.

PEDRO – Desgraçada!

ELIZABETH – Fora! Não quero mais ter que olhar para essa sua cara! Só usei você para m vingar de sua mãe, que foi uma vadia!

PEDRO – Não fala assim da minha mãe! Isso não é verdade.

ELIZABETH – Pobre Pedro! Você não sabe de nada. Absolutamente nada.

PEDRO – Do que você esta falando?

ELIZABETH – Em breve você vai saber! Ainda é cedo. Vou ficar aqui esperando para te dizer tchau.

PEDRO SOBE AS ESCADAS E VAI PRO QUARTO.

 

ALGUM LUGAR – RIBANCEIRA – NOITE.

ESTHER CONSEGUE SAIR DO CARRO.

ESTHER (DESESPERADA/CHORANDO) – Carlos? Carlos? Acorda por favor. Sai dai o carro vai explodir. Carlos!

O CARRO COMEÇA A PEGAR FOGO.

ESTHER SE AFASTA E O CARRO EXPLODE.

ESTHER (GRITANDO) – CARLOS!

870ca-fimdocap

DE SEGUNDA À SEXTA ÀS 22 HORAS

ADNTV

SANGUE_Cruzado – CAPÍTULO 40 – ÚLTIMAS_Semanas

228 - Cópia - Cópia (6)

UMA NOVELA DE JHEFF REIS

DIREÇÃO DE VINNY LOPES

CENA 01/ CASA DE BRANCA/ NOITE.

CONTINUAÇÃO…

VERÔNICA ACERTA UMA TAPA NO ROSTO DE BRANCA.

BRANCA – Você FICOU maluca garota? Como tem coragem de vir até a minha casa e me agredir?

VERÔNICA – Eu cansei de suas ofensas e de preconceito!

BRANCA – Eu vou destruir a sua vida!

VERÔNICA ACERTA OUTRA TAPA EM BRANCA.

VERÔNICA – Cala essa sua boça!

BRANCA – Aproveitadora! Só quer se casar com meu filho por causa do dinheiro dele!

VERÔNICA EMPURRA BRANCA, QUE CAI NO SOFÁ.

VERÔNICA – Você vai se arrepender de tudo o que já me disse!

VERÔNICA COMEÇA A ESTAPEAR BRANCA.

BRANCA – Socorro! Socorro!

VERÔNICA CONTINUA BATENDO

BRANCA – Para! Para por favor!

VERÔNICA (OFEGANTE) – Vou te mostrar do que eu sou capaz!

VERÔNICA CONTINUA BATENDO EM BRANCA.

BRANCA – Por favor, para!

VERÔNICA JÁ EXAUSTA PARA DE BATER.

VERÔNICA (OFEGANTE) – Eu não gosto de violência. Mas você me obrigou a isso.

BRANCA ENCARRA VERÔNICA.

 

  • CENA 02/ CASA DE CARMEM/ NOITE.

CONTINUAÇÃO…

IVONE FLAGRA JORGE E CARMEM NA CAMA.

CARMEM – Ivone, não é nada disso do que você está pensando.

IVONE – Eu não estou pensando. Estou vendo!

CARMEM – Silêncio! O Jorge ainda esta dormindo.

EUGÊNIA – Eu te falei Ivone! Eu sempre falei que essa mulher não prestava.

IVONE – Eu fui idiota e não dei importância ao que a senhora me dizia.

IVONE CAMINHA ATÉ A PORTA

EUGÊNIA – Ivone, você não vai fazer nada?

IVONE VAI EMBORA IRRITADA. EUGÊNIA OLHA PARA CARMEM.

EUGÊNIA – PUTA!

CARMEM SOLTA UM BEIJO PARA EUGÊNICA, QUE LOGO VAI EMBORA.

 

  • CENA 03/ CASA DE BRANCA/ NOITE.

CONTINUAÇÃO

VERÔNICA – Você nunca foi uma mãe de verdade! Nunca foi esposa suficiente.

BRANCA – Quem é você pra dizer isso? Você não sabe nada da minha vida!

VERÔNICA – Qualquer pessoa que conhecer você mesmo que por pouco tempo, vai saber disso! Seus filhos tem vergonha de você! Seu marido foi embora por que você sempre foi uma rancorosa, egoísta, mercenária!

BRANCA – Fora da minha casa! Não vou admitir que você me ofenda.

VERÔNICA – Eu vou embora sim! Não quero ficar mais um minuto olhando para essa sua cara.

VERÔNICA PEGA A BOLSA E VAI EMBORA.

  • CENA 04/ CASA DE ESTHER/ NOITE.

CARLOS INVADE A CASA DE ESTHER ARMADO.

ESTHER – Carlos? O que é isso?

CARLOS – Você vem comigo!

ESTHER – Como assim? Pra onde?

CARLOS – Vamos dar um passeio!

CARLOS PEGA ESTHER PELO PESCOÇO E A LEVA.

ESTHER – Carlos, o que você vai fazer?

CARLOS – Você vai ver!

CARLOS SAI COM ESTHER. ELE A COLOCA DENTRO DO CARRO E SAI EM ALTA VELOCIDADE.

 

  • CENA 05/ CASA DE PEDRO/ NOITE.

ELIZABETH MEXE NO NOTEBOOK, O CELULAR TOCA.

ELIZABETH – Alô?!

ADVOGADO – Elizabeth?

ELIZABETH – Oi doutor.

ADVOGADO – Deu tudo certo! Consegui provar que a é assinatura da Cristina nos documentos em que passa tudo para o seu nome.

ELIZABETH – Que excelente noticia! E quando saiu essa decisão?

ADVOGADO – Agora a pouco! É tudo seu Elizabeth! Eu consegui provar que a assinatura é original. O Pedro não tem mais nada.

ELIZABETH – Obrigada Juan! Não esperava receber uma noticia tão boa.

ADVOGADO – De nada! Tenha uma boa noite.

ELIZABETH – Boa Noite!

ENCERRA A CHAMADA.

ELIZABETH PEGA A BOLSA E SAI DE CASA.

 

  • CENA 06/ CASA DE IVONE; RUA/ NOITE.

IVONE JOGA AS ROUPAS DE JORGE NA RUA.

JORGE AINDA MEIO SONOLENTO VÊ A CENA DA RUA.

JORGE – O que esta acontecendo? Ivone o que esta acontecendo?

IVONE (JOGANDO AS ROUPAS PARA RUA) – Aqui estão suas coisas desgraçado! Aqui na minha casa você não fica mais.

JORGE – O que foi que eu fiz?

IVONE – Vai dizer agora que não se lembra de ter ido pra casa coma vagabunda da Carmem?

JORGE – O que?

IVONE – Vai pro raio que o parta!

IVONE FECHA A JANELA.

JORGE CATA AS ROUPAS.

 

  • CENA 07/ RUA/ CARRO DE ELIZABETH/ NOITE.

ELIZABETH DIRIGE. O CELULAR TOCA.

ELIZABETH – Oi Carmem?

CARMEM – Elizabeth? Tudo ocorreu como planejado!

ELIZABETH – Conseguiu?

CARMEM – Sim! Dopei o Jorge e levei-o pra cama. A Ivone e a mãe dela nó flagraram totalmente pelada com ele e ainda de conchinha.

ELIZABETH – E a desgraçada o que fez?

CARMEM – Acabou de colocar o cara pra fora! Jogou as coisas dela na rua.

ELIZABETH – Ótimo trabalho! Tenho que desligar agora.

CARMEM – Onde você esta?

ELIZABETH – Vou acabar com a brincadeira de chantagem!

CARMEM – Boa sorte!

ELIZABETH – Obrigada!

CARMEM ENCERRA A CHAMADA.

ELIZABETH ESTACIONA O CARRO.

ELIZABETH – Vou acertar o que devo.

ELIZABETH PEGA A BOLSA E SAI DO CARRO. ELA CHEGA A UMA CASA NA FAVELA E BATE NA PORTA.

MARGARIDA ATENDE.

MARGARIDA – Muito bem cumpriu com a sua palavra.

ELIZABETH ENTRA E MARGARIDA FECHA PORTA.

ELIZABETH – Trouxe o dinheiro! Cadê as fotos?

MARGARIDA – Primeiro o dinheiro.

ELIZABETH ENTREGA O DINHEIRO.

ELIZABETH – Agora as fotos.

MARGARIDA VAI ATE O FORNO E PEGA TODAS AS FOTOS.

ELIZABETH – Tão clichê esconder as coisas dentro do forno.

MARGARIDA ENTREGA AS FOTOS.

ELIZABETH – Estão todas aqui? Não existe copias?

MARGARIDA – As originais e copias então ai.

ELIZABETH – Muito bem!

ELIZABETH PUXA A ARMA E APORTA PARA MARGARIDA.

MARGARIDA – O que você vai fazer?

ELIZABETH – Vamos passar um pouco!

ELIZABETH DÁ UMA CORONHADA EM MARGARIDA.

ELIZABETH – Isso acaba aqui.

ELIZABETH ARRASTA MARGARIDA TE O CARRO. ELA POE MARGARIDA DENTRO DO CARRO E VAI EMBORA.

870ca-fimdocap

DE SEGUNDA À SEXTA ÀS 22 HORAS

ADNTV

SANGUE_Cruzado – CAPÍTULO 39 – ÚLTIMAS_Semanas

228 - Cópia - Cópia (6)

UMA NOVELA DE JHEFF REIS

DIREÇÃO DE VINNY LOPES

  • CENA 01/ CASA DE PEDRO/ DIA.

CONTINUAÇÃO

PEDRO FLAGRA MARGARIDA GRITANDO COM ELIZABETH

PEDRO – Então gente, o que esta acontecendo aqui? Elizabeth?

ELIZABETH – É que… Como a Ivone estava com problemas, desde a morte do irmão dela, ela não estava dando conta dos a fazeres aqui em casa, então eu contratei essa mulher pra fazer umas diárias, só que eu não tenho dinheiro pra pagar o serviço dela.

MARGARIDA OLHA PARA ELIZABETH.

PEDRO – Precisa esse alvoroço todo?

ELIZABETH – Desculpa!

PEDRO (ENTREGA DINHEIRO A ELIZABETH) – Toma aqui, acho que dá pra pagar.

ELIZABETH – Dá sim! (PARA MARGARIDA) Pode me acompanhar ate a cozinha? Vamos resolver isso lá.

PEDRO – Nada de gritos, por favor!

ELIZABETH E MARGARIDA VÃO PARA A COZINHA; PEDRO SOBRE AS ESCADAS.

CORTA PARA; COZINHA.

MARGARIDA – Agora você escolhe! Ou me dá o dinheiro, ou eu conto tudo ao seu marido. E ai?

ELIZABETH – Amanha! Amanhã eu te dou o dinheiro.

MARGARIDA – Qual a garantia?

ELIZABETH – A mesma que você me deu da primeira vez “a minha palavra”. Agora toma esse dinheiro aqui e sai da minha casa agora.

MARGARIDA – Amanhã! Amanhã! Vou esperar, e se você não aparecer… Sua cara vai estar em rede nacional.

ELIZABETH – Eu vou estar com o seu dinheiro. Mas tem uma condição.

MARGARIDA – Que condição?

ELIZABETH – Você não pode nunca mais aparecer aqui na minha casa.

MARGARIDA – Ai vai depender só de você.

ELIZABETH – Vai embora daqui agora! Antes que o Pedro volte.

MARGARIDA – Eu vou! E espero meu dinheiro amanhã.

MARGARIDA SAI PELA PORTA DOS FUNDOS.

 

CAI A TARDE…

  • CENA 02/ CASA DE PEDRO/ TARDE.

TOCA A CAMPAINHA.

ELIZABETH ESTA SENTADA NO SOFÁ, ELA LEVANTA E ATENDE.

ELIZABETH – Realmente… O autor não tem senso de humor! Pra mandar duas pestes do mesmo capitulo… O que você veio fazer aqui em?

BRANCA – Preciso mais do que nunca da sua ajuda!

ELIZABETH – Você só vem aqui pra isso. Pedir minha ajuda.

BRANCA – Quero que convença o Pedro a demitir a Verônica.

ELIZABETH – Você faz de tudo pra destruir essa mulher, né? Vai procurar o que fazer Branca e deixa-a viver a vida dela em paz.

BRANCA – Claro que não! Não vou deixar ela se casar com Fernando. Ela é uma aproveitadora, só quer o dinheiro dele. Por favor, Elizabeth converse com o seu marido e faça-o demitir a neguinha.

ELIZABETH – Não garanto a demissão, mas vou tentar.

BRANCA – Muito obrigada! Espero poder voltar aqui para colocarmos o papo em dia.

ELIZABETH – Claro! Eu adoraria.

BRANCA – Vou esperar pela boa noticia em casa. Tchau.

ELIZABETH – Tchau!

BRANCA VAI EMBORA.

 

CAI A NOITE…

  • CENA 03/ MEIER/ RUA/ NOITE.

IVONE PROCURA POR JORGE.

IVONE – Mamãe a senhora viu o Jorge?

EUGÊNIA – Tava lá no boteco com a Carmem.

CORTA PARA; BOTECO.

IVONE – Seu Joaquim boa noite?!

JOAQUIM – Boa noite Ivone!

IVONE – O senhor viu o Jorge? Minha mãe disse que ele estava aqui.

JOAQUIM – Ele estava! Saiu ai com a Carmem!

IVONE – Com a Carmem? Pra onde?

JOAQUIM – Acho que pra cada dela!

IVONE – É o que? Não pode ser. Vou lá agora saber o que esta acontecendo.

IVONE SAI IRRITADA.

– NA RUA;

EUGÊNIA – Achou ele?

IVONE – Tá na casa da Carmem!

IVONE E EUGÊNIA VÃO ATE A CASA DE CARMEM.

CORTA PARA; CASA DE CARMEM.

IVONE INVADE A CASA DE CARMEM.

IVONE (CHAMANDO) – Jorge? Jorge?

AS DUAS VASCULHAM A CASA.

IVONE – Cadê esse desgraçado?

IVONE ENTRA NO QUARTO DE CARMEM.

CARMEM E JORGE ESTÃO DEITADOS DE CONCHINHA, TOTALMENTE PELADOS.

IVONE – O que esta acontecendo aqui?

EUGÊNIA – Eu te falei!

CARMEM – Ivone?

CARMEM ABRE UM SORRISO SÍNICO.

 

  • CENA 04/ CASA DE PEDRO/ SALA DE JANTAR/ NOITE.

ELIZABETH LIGA PARA VERÔNICA.

ELIZABETH – Alô?! Boa Noite!

VERÔNICA – Boa noite!

ELIZABETH – Verônica?

VERÔNICA – Sim sou eu! Quem é?

ELIZABETH – Oi Verônica. Eu sou a “Sueli”, a nova secretaria do Dr. Pedro.

VERÔNICA – Nova secretaria?

ELIZABETH – Sim! Então, Verônica. O Dr. Pedro pediu que eu ligasse para te informar sobre a sua demissão.

VERÔNICA – Demissão? Como assim?

ELIZABETH – A empresa esta fazendo alguns cortes, e seu nome esta nessa lista de cortes.

VERÔNICA – Foi a Branca, num foi? Foi ela que fez a cabeça do Pedro?

VERÔNICA NÃO ESPERA A RESPOSTA E ENCERRA A CHAMADA.

 

CORTA PARA;

  • CENA 05/ CASA DE BRANCA/ NOITE.

TOCA A CAMPAINHA.

BRANCA ATENDE.

VERÔNICA (INVADINDO)– Não se cansa? Não cansa de fazer maldades, Branca?

BRANCA – Quem você pensa que é pra invadir a minha casa assim toda exaltada?

VERÔNICA – Você teve a coragem de fazer a cabeça do Pedro! Como você é baixa!

BRANCA – Saia da minha casa agora!

VERÔNICA – Você vai se arrepender de tudo o que tem feito contra mim.

BRANCA – Você que cai se arrepender de ter nascido! Eu não vou deixar você se casar com meu filho sua aproveitadora. Vadia!

VERÔNICA ACERTA UMA TAPA NO ROSO DE BRANCA.

VERÔNICA – Agora você vai saber quem eu sou!

BRANCA, ASSUSTADA ENCARA VERÔNICA.

870ca-fimdocap

DE SEGUNDA À SEXTA ÀS 22 HORAS

ADNTV

SANGUE_Cruzado – CAPITULO 38 – ÚLTIMAS_Semanas

228 - Cópia - Cópia (6)

UMA NOVELA DE JHEFF REIS

DIREÇÃO DE VINNY LOPES

  • CENA 01/ CASA DE PEDRO/ DIA.

CONTINUAÇÃO

IVONE FLAGRA CARMEM NA CASA DE ELIZABETH

IVONE – O que você esta fazendo aqui?

ELIZABETH – Ela veio atrás de você!

IVONE – Atrás de mim?

CARMEM – É! Eu fiquei sabendo que o Jorge foi preso. Então assim… Eu estava te procurando pra saber o que aconteceu.

IVONE – Mas veio me procurar aqui?

CARMEM – Te procurei lá n bairro e não te achei.

IVONE – E por que essa preocupação com o Jorge?

CARMEM – Porque ao contrario do que a sua mãe fala, eu sou muito amiga do Jorge.

ELIZABETH – E eu falei que você não estava aqui.

IVONE – O Dr. Pedro está resolvendo pra tentar tirar o Jorge de lá.

CARMEM – Ok! Então eu vou embora.

IVONE – Eu também! Vim atrás do Dr. Pedro, mas parece que ele não esta.

CARMEM – Tchau!

ELIZABETH – Tchau!

IVONE E CARMEM VÃO EMBORA.

 

  • CENA 02/ CASA DE ESTHER/ DIA.

CONTINUAÇÃO…

CARLOS – Eu queria pegar você e criar como meu filho! Só que essa desgraçada disse que uma acriança iria atrapalhar os planos dela.

IAGO – Planos? Quais planos?

CARLOS – Dá um golpe em um bacana cheio da grana!

ESTHER – Isso é mentira!

CARLOS – Essa história de que ela te odiava por causa do seu pai é mentira! A Esther só pensa nela. E deixar você naquela sinaleira foi à coisa mais fácil pra ela.

ESTHER – Eu nunca quis um filho! E criar você Iago, seria sim um erro! Por que você iria atrapalha meus planos.

IAGO – E porque não se preveniu? Quantas crianças são abandonadas por ai, por que mulheres irresponsáveis que só pensam no prazer fazem essas crianças e na hora da consequência tenta se livrar?

ESTHER – A Esther nunca teve responsabilidade! Ela só é responsável ao interesse dela.

IAGO – Eu não quero mais saber de nada! Vou embora.

CARLOS – Eu vou com você Iago.

IAGO E CARLOS CAMINHAM ATÉ A PORTA.

IAGO (PARA ESTHER) – Pensa no que aconteceu hoje aqui e tenta mudar essa suas atitudes.

OS DOIS VÃO EMBORA.

 

A TARDE CAI…

  • CENA 03/ CASA DE IVONE/ TARDE.

EUGÊNIA E IVONE CONVERSAM.

IVONE – Mãe hoje eu fui na casa do Dr. Pedro  a senhora não vai acreditar quem eu encontrei lá com a Elizabeth.

EUGÊNIA – Então fala! Quem sabe eu acredito.

IVONE – Quando eu estava chegando lá, flagrei a Carmem saindo de lá.

EUGÊNIA – Eu sabia! Eu já sabia que ela estava armando alguma coisa.

IVONE – Como assim?

EUGÊNIA – Essa Carmem só pode estar armando alguma coisa com a Elizabeth.

IVONE – Mas ela não conhece a Elizabeth!

EUGÊNIA – Essa Elizabeth deve estar armando alguma coisa com a Carmem!

IVONE – Claro que não! E a Carmem foi atrás de mim.

EUGÊNIA – Atrás de você pra que?

IVONE – Ela queria saber sobre a prisão do Jorge.

EUGÊNIA – Pra mim ela foi armar alguma coisa com essa Elizabeth.

IVONE – Armar o que mamãe?

EUGÊNIA – Ivone minha filha, acorda! Essa Elizabeth é uma maluca. Ela vai querer fazer alguma coisa contra você.

IVONE – Acho que não mamãe! Depois da surra que eu dei nela, acho que não.

EUGÊNIA – Se você acha que não.

IVONE – Não se preocupe! A Elizabeth não vai fazer nada.

EUGÊNIA – Você confia demais.

EUGÊNIA SAI INCONFORMADA.

 

CHEGA E LOGO PASSA – DIA SEGUINTE.

  • CENA 04/ DELEGACIA/ DIA

PEDRO E IVONE ESTÃO NA DELEGACIA A ESPERA DO DELEGADO.

PEDRO ESTA COM O HABEAS CORPUS EM MÃOS.

POLICIAL – O Delegado já esta vindo.

PEDRO – Obrigado!

POLICIAL SAI DA SALA.

IVONE – Será que o Jorge vai sair hoje?

PEDRO – Sim! Com esse habeas corpus ele fica livre.

IVONE – Livre?

PEDRO – Não do processo! Ele vai responder em liberdade.

CHEGA O DELEGADO, ACOMPANHADO DE UM POLICIAL.

DELEGADO – Bom Dia!

PEDRO – Bom dia seu delegado. Eu vim trazer o habeas corpus para liberar o meu cliente.

DELEGADO – Por favor.

PEDRO ENTREGA O DOCUMENTO AO DELEGADO.

DELEGADO – Pode trazer o rapaz!

CORTA PARA; FORA DA DELEGACIA.

JORGE JÁ FOI SOLTO.

IVONE – Muito Obrigada Dr. Pedro! Obrigada pela ajuda.

JORGE – Obrigado Dr.

PEDRO – Por nada. Agora é esperar pelo processo e pode contar comigo como advogado.

IVONE – Que Deus te abençoes!

PEDRO – Amém! (OLHA PARA O RELÓGIO) Esta na minha hora. Ainda vou passar em casa e de lá vou para escritório. Até mais.

IVONE – Até! E muito obrigada mais uma vez.

PEDRO – De nada!

PEDRO ENTRA NO CARRO E VAI EMBORA.

IVONE – Vamos embora.

IVONE E JORGE VÃO PARA PONTO DE ÔNIBUS.

 

  • CENA 05/ CASA DE PEDRO/ DIA.

TOCA A CAMPAINHA.

ELIZABETH DESCE AS ESCADAS.

ELIZABETH – Já vai! Que droga de empregada que ao invés de vim trabalhar fica vadiando pela delegacia.

ELIZABETH ABRE A PORTA.

MARGARIDA (INVADINDO) – Cadê o meu dinheiro?

ELIZABETH – Sua mãe não lhe deu educação não, vadia? Isso são horas de vim pra casa dos outros fazer chantagem?

MARGARIDA – Eu não estou a fim de papo! Quero meu dinheiro agora!

ELIZABETH – Já tentou arrumar uma faxina pra fazer? Uma diária? Quer dinheiro vá trabalhar! Não vou ficar dando vida mole à vagabunda. Quer vida mole senta no pudim.

MARGARIDA – Tá cheia de ousadia hoje!

ELIZABETH – Sai da minha casa agora! Não estou num bom dia.

MARGARIDA – Eu só saio daqui com o meu dinheiro!

ELIZABETH – Você vai sair daqui agora antes que eu te ponha pra fora daqui debaixo de pancada.

MARGARIDA (GRITANDO) – Eu só saio daqui com o meu dinheiro!

CHEGA PEDRO.

PEDRO – O que esta acontecendo aqui? Que gritaria é essa?

ELIZABETH OLHA PARA PEDRO, ASSUSTADA.

870ca-fimdocap

DE SEGUNDA À SEXTA ÀS 22 HORAS

ADNTV

SANGUE_Cruzado – Capítulo 37 – ÚLTIMAS_Semanas

228 - Cópia - Cópia (6)

UMA NOVELA DE JHEFF REIS

DIREÇÃO DE VINNY LOPES

  • CENA 01/ RUA/ FRENTE DA DELEGACIA/DIA.

CONTINUAÇÃO

PEDRO – A Elizabeth ameaçou matar a sua mãe? Por que ela faria isso?

IVONE – Não sei.

PEDRO – Tudo bem! Vamos esquecer isso. E… Bem que a Elizabeth mereceu essas pancadas.

IVONE – O senhor não vai me demitir?

PEDRO – Não! Não vou te demitir por isso.

IVONE – Obrigada!

PEDRO – Tenho que ir agora! Depois a gente se falar.

IVONE – Tá bom! Obrigada mais uma vez.

PEDRO – Por nada.

PEDRO ENTRA NO CARRO E VAI EMBORA.

 

  • CENA 02/ CASA DE PEDRO/DIA.

ELIZABETH LIGA PARA CARMEM.

ELIZABETH – Carmem?

CARMEM – O que você quer dessa vez?

ELIZABETH – Quero que venha aqui na minha casa agora. Preciso muito falar com você.

CARMEM – Não pode ser por telefone?

ELIZABETH – Se fosse por telefone eu não pedia pra você vim até a minha casa.

CARMEM – Estou indo!

ELIZABETH – Venha o mais rápido que puder.

ELIZABETH ENCERRA A CHAMADA.

 

  • CENA 03/ CASA DE VERÔNICA/DIA.

FERNANDO CHEGA A CASA.

VERÔNICA – E ai amor como é que foi lá?

FERNANDO – O pior possível!

VERÔNICA – Como assim?

FERNANDO – A mamãe m tratou muito mal. À fase chorona solitária já passou.

VERÔNICA – Te tratou mal? O filho que ela mais ama?

FERNANDO – Me colocou pra fora da casa dela. E a Liz coitada da minha irmã também foi expulsa.

VERÔNICA – A sua mãe colocou vocês dois pra fora? É! Não sei qual é a dela.

FERNANDO – Parecia outra pessoa. Pelo menos ela disse que desistiu de acabar com o nosso casamento.

VERÔNICA – Graças!

FERNANDO OLHA PARA VERÔNICA, AINDA CONFUSO.

  • CENA 04/ CASA DE ESTHER/DIA.

ESTHER, CARLOS E IAGO CONVERSAM.

ESTHER – O que a Elizabeth tem haver com você?

IAGO – Ela nos ajudou a fazer esse momento acontecer!

ESTHER – Carlos, quem é esse garoto?

IAGO – Iago! O bebe que você abandonou na sinaleira para os cachorros comer!

ESTHER (LEVANTA-SE ASSUSTADA)– Como assim?

CARLOS – Surpresa Esther?

ESTHER – Carlos, como assim?

IAGO – Depois que você me deixou uma mulher que estava com o carro parado na sinaleira ouviu meu choro e foi até lá.

ESTHER (EM PENSAMENTO) – “Maldita seja!”. E como você me achou?

IAGO – Uma reportagem sobre os moradores de rua tem uma foto vocês dois juntos. Eu peguei uma foto que a minha mãe me deu do Carlos ainda jovem.

CARLOS – Por que sua mãe te deu uma foto minha?

IAGO – Ela não conseguiu tirar uma dela. Então tirou uma sua para que eu usasse pra encontrar a minha verdadeira mãe.

ESTHER – Eu não tinha condições de te criar. O que eu arrecadava no sinal mal dava pra mim.

CARLOS – Isso é mentira Esther.

IAGO – E por que não me deixou na porta de alguma casa ou de algum abrigo? Custava me entregar a algum casal que quisesse um filho?

ESTHER – Eu estava com raiva de você!

IAGO – Por quê?

ESTHER – Você é fruto de um amor doloroso! Eu trai o Carlos com seu pai.  E ele não quis assumir você. Dizia que aquele filho não era dele. Que era filho de tiquinho.

IAGO – O que é isso?

ESTHER – Filho de qualquer um! E por isso eu te abandonei naquela sinaleira.

IAGO – E você Carlos, por que me deixou lá?

CARLOS – A Esther não permitiu que eu te levasse pra casa.

ESTHER – Mentira! Ele foi o primeiro a me apoiar nessa loucura.

CARLOS – Iago, eu quis muito criar você só que essa desgraçada não deixou.

IAGO OLHA COM NOJO PRA ESTHER.

 

  • CENA 05/ CASA DE PEDRO/DIA.

CARMEM CHEGA A CASA DE PEDRO.

CARMEM (ENTRANDO) – O que você quer comigo de tão urgente?

AS DUAS SENTAM-SE.

ELIZABETH (ENTREGANDO ENVELOPE) – Aqui está a recompras pelo serviço bem feito de ontem.

CARMEM – Quanto que tem aqui?

ELIZABETH – O suficiente!

CARMEM – Você não me trouxe aqui só pra isso, trouxe?

ELIZABETH – Não!

CARMEM – O que aconteceu com seu rosto?

ELIZABETH – A desgraçada da Ivone me deu uma surra ontem.

CARMEM – Nossa Elizabeth! E você não fez nada?

ELIZABETH – Fiz e vou fazer! Já mandei o maridinho dela pra cadeira e agora você entra em ação pra valer!

CARMEM – Em que?

ELIZABETH – A Ivone pediu a ajuda do Pedro pra tirar o Jorge da cadeira. Com certeza o Pedro foi em busca de um habeas corpus para tentar tirar o cara da cadeira.

CARMEM – E o que eu tenho a ver com tudo isso?

ELIZABETH – Assim que o Jorge sai da cadeira eu quero você leve ele pra cama e faça com que a Ivone flagre vocês dois completamente pelados.

CARMEM – Vai ser fácil!

ELIZABETH – Não fique tão confiante! Quero esse serviço muito bem feito. Caso consiga a recompensa será ainda maior do que essa.

CARMEM – Pode deixar.

ELIZABETH – Agora vá! Não quero que alguém veja você aqui.

ELIZABETH LEVA CARMEM ATÉ A PORTA.

CARMEM – Se cuida!

ELIZABETH – Pode deixar. E se cuida você também.

ELIZABETH ABRE A PORTA E DÁ DE CARA COM IVONE.

IVONE – Dona Carmem?

CARMEM – Ivon?

CARMEM OLHA PARA ELIZABETH

870ca-fimdocap

DE SEGUNDA À SEXTA ÀS 22 HORAS

ADNTV

SANGUE_Cruzado – Capítulo 36 – ÚLTIMAS_Semanas

228 - Cópia - Cópia (6)

UMA NOVELA DE JHEFF REIS

DIREÇÃO DE VINNY LOPES

  • CENA 01/ DELEGACIA/NOITE.

JORGE É LEVADO ATÉ A SALA DO DELEGADO.

JORGE (ENTRANDO) – Doutor esta acontecendo algum engano. Eu nunca trabalhei com peças roubadas.

DELEGADO – E essas que foram encontradas na sua oficina?

JORGE – Alguém colocou lá doutor! Até hoje a tarde essas peças não estavam lá.

DELEGADO – O senhor está preso! Foi pego em flagrante com a prova do crime. Me agradeça por não te mandar pro presidio.

JORGE – Doutor? Posso ligar pra minha esposa?

DELEGADO – Pode! Mas não vou permitir visitas hoje.

CORTA PARA; LADO DE FORA DA SALA.

JORGE USA UM TELEFONE PUBLICO QUE TEM DENTRO DA DELEGACIA.

JORGE – Ivone?

IVONE – Oi Jorge?! Onde é que você esta?

JORGE – Eu estou aqui na delegacia!

IVONE – Na delegacia fazendo o que?

JORGE – Eu fui preso!

IVONE – Como assim Jorge? Preso por quê? O que foi que você fez?

JORGE – Denunciaram a minha oficina! E acharam peças de carros roubados lá.

IVONE – Você estava usando peças roubadas?

POLICIAL – Já chega! Seu tempo acabou!

JORGE – Ivone eu tenho que desligar. Me escuta! Arruma um advogado pra me tirar daqui! Vem amanha o mais cedo que puder.

IVONE – Não posso ir hoje? Você vai passar a noite ai?

JORGE – Arruma o advogado e vem pela manha. Tchau.

JORGE DESLIGA.

POLICIAL – Bora!

JORGE É LEVADO PARA A SELA.

 

AMANHECE

  • CENA 02/ RUA/DIA.

ELIZABETH, IAGO E CARLOS CHEGAM A CASA DE ESTHER.

ELIZABETH – Daqui pra frente é com vocês!

IAGO – Quanto ao Pedro?

ELIZABETH – Não precisa se preocupar! Ele esta fora da jogada.

CARLOS – O que aconteceu com você?

ELIZABETH – Fui assaltada ontem a noite e agredida pelos assaltantes.

IAGO – Bom, vamos subir!

CORTA PARA; PORTA DA CASA.

ELIZABETH BATE A PORTA.

ESTHER (ABRINDO) – O que você veio fazer aqui?

ELIZABETH – Trouxe uns amigos para festa!

ESTHER – Do que você esta falando?

ELIZABETH – Menino, por favor.

CARLOS E IAGO APARECEM.

CARLOS – Feliz em m ver Esther?

ESTHER – O que significa isso? Quem é esse garoto?

CARLOS – Temos muita coisa pra acertar!

ESTHER OLHA PARA CARLOS E PARA ELIZABETH.

 

  • CENA 03/ DELEGACIA/DIA.

IVONE CHEGA A DELEGACIA.

SALA DO DELEGADO.

IVONE – Seu delegado, meu marido é inocente!

DELEGADO – Não senhora! Ele foi preso em flagrante com peças roubadas.

IVONE – Essas peças não é dele! Alguém implantou lá. Meu marido é honesto. Solta ele, por favor.

DELEGADO – A senhora é advogada dele?

IVONE – Não! Sou esposa.

DELEGADO – Então a senhora queira se retirar, por favor. A senhora esta causando tumulto.

IVONE – Não, por favor! Deixa eu ver o meu marido. O advogado esta chegando.

DELEGADO (CHAMANDO) – Policial? Pode levar essa senhora para ver o marido.

IVONE – Obrigada!

IVONE ACOMPANHA O POLICIAL

 

  • CENA 04/ CASA DE BRANCA/DIA.

FERNANDO CHEGA A CASA DE BRANCA.

BRANCA – O que é que você veio fazer aqui novamente em?

FERNANDO – Vim visitar a senhora! E saber que já desistiu da ideia de acabar com o meu casamento.

BRANCA – Decidi viver a minha vida e esquecer vocês! Cada um sabe a besteira que faz e se você quiser casar com aquela neguinha aproveitadora, que case.

FERNANDO – Parece que a senhora esta muito bem!

BRANCA – Estou! E fora da minha casa agora!

FERNANDO – É isso mesmo? A senhora vai me colocar pra fora de casa?

BRANCA – Sim vou! Pra fora da minha casa!

LIZ CHEGA

LIZ – Oi? O que esta acontecendo?

FERNANDO – A mamãe esta me colocando pra fora.

BRANCA – Estou mesmo! Fora da minha casa os dois!

LIZ – Mamãe por que esta fazendo isso?

BRANCA – Não interessa! Fora, fora, FORA!

LIZ – Não esperava mais da senhora.

FERNANDO – Espero que saiba o que esta fazendo.

FERNANDO E LIZ SAEM

BRANCA – Tchau!

BRANCA FECHA A PORTA.

 

  • CENA 05/ CASA DE PEDRO/DIA.

ELIZABETH DESCE AS ESCADAS. O CELULAR TOCA.

ELIZABETH (ATENDENDO)– Confidencia? Quem será? Alô?

MARGARIDA – E ai? Já conseguiu meu dinheiro?

ELIZABETH – Seu dinheiro? Quem é que esta falando?

MARGARIDA – Aquela que viu você jogar sua irmã ser jogada debaixo de uma forte chuva no meio da rua.

ELIZABETH – Olha aqui sua perturbada, vê se me esquece! Eu não tenho dinheiro para ceder a suas chantagens.

MARGARIDA – Então querida vai se preparando pra ver o sol nascer quadrado.

ELIZABETH – Não! Vou marcar um dia pra entregar esse seu dinheiro. Me dá uma semana e ai eu te procuro.

MARGARIDA – Tudo bem querida! Tenha um ótimo dia.

MARGARIDA ENCERRA A CHAMADA.

ELIZABETH – Vadia! Vou dar o seu.

ELIZABETH VAI ATÉ A COZINHA.

 

  • CENA 06/ DELEGACIA/DIA.

PEDRO E IVONE SAEM DA DELEGACIA.

IVONE – O que aconteceu lá dentro?

PEDRO – O Delegado não pode fazer muito pelo seu marido. Eu vou fazer o pedido de um habeas corpus e ele deve responder ao processo.

IVONE – Dr. Pedro obrigada pela ajuda. O senhor é uma pessoa muito boa. Ao contrario da sua mulher.

PEDRO – Obrigado! Mas o que tem a Elizabeth?

IVONE – O senhor não viu o rosto dela?

PEDRO – Vi! A Elizabeth me contou que foi a Esther, uma amiga minha que bateu nela.

IVONE – Na verdade Dr. Pedro… Eu que bati na Elizabeth.

PEDRO – O que?

IVONE – Eu que bate nela.

PEDRO – Ivone, não se culpe por medo da Elizabeth.

IVONE – Não estou me culpando! Eu bati na sua esposa. Por que ela ameaçou matar a minha mãe.

PEDRO – O que?

SANGUE_Cruzado às 22 horas aqui no ADNTV

870ca-fimdocap

DE SEGUNDA À SEXTA ÀS 22 HORAS

ADNTV