Jogo de Feras – Último Capítulo

11870816_1018340531523300_7506997997627748409_n

UMA NOVELA DE ALLAN SAB

JOGO DE FERAS – CAPÍTULO 30 {Último}

228 - Cópia - Cópia (6)

CONTINUAÇÃO DA CENA ANTERIOR.

CENA 1. GALPÃO ABANDONADO/ ESTOQUE/ INT./ NOITE

DOMINIQUE (angustiado) – Então, você abandonou nossa filha numa lata de lixo…

Dominique fica emocionado.

EVA (interrompendo Dominique, chorando) – Você não pode me culpar! Afinal, eu a quis proteger do monstro que você é!

DOMINIQUE – Um erro não justifica o outro… Você é um monstro como eu… A verdade é que você destruiu a vida da nossa filha…

EVA (emocionada) – Mas, a minha intenção foi protegê-la.

DOMINIQUE (arrasado) – Sempre carreguei a culpa de vários assassinatos e vários crimes, nas costas… Mas, esse é todo seu!

EVA (chora) – Vou conviver com essa culpa para o resto da minha vida… Mas, a verdade é que não me arrependo de nada que fiz.

Dominique acerta uma forte bofetada em Eva, que cai no chão. Ele fica agoniado, e sai, enquanto, Eva chora desesperadamente, ela se debate no chão.

[Tristeza]

[Abertura]

CENA 2. STOCK-SHOTS/ PLANOS GERAIS DO RIO DE JANEIRO/ EXT./ MANHÃ

Amanhece na cidade maravilhosa. Um lindo dia ensolarado. Ritmo Frenético.

CENA 3. FACHADA DO GALPÃO ABANDONADO/ EXT./ MANHÃ

SONOPLASTIA: JACOB PLANT – DROP THAT

A polícia prepara-se para invadir o galpão. Agitação e Euforia por partes dos policias, que estão fortemente armados.

CORTE RÁPIDO:

CENA 4. GALPÃO ABANDONADO/ INT./ MANHÃ

(A música continua) Rui corre até o meio do galpão, desesperado. Ele se aproxima de Dominique.

RUI (desesperado) – Mad Mestre! Estamos cercados pela polícia… O galpão está para ser invadido.

DOMINIQUE (vira-se) – Como é que é?

Rui o encara apreensivo.

CENA 5. FACHADA DO GALPÃO ABANDONADO/ EXT./ MANHÃ

[EM CAM LENTA] A polícia começa a cercar todo o galpão. (A música continua)

CORTE DESCONTÍNUO:

CENA 6. GALPÃO ABANDONADO/ INT./ MANHÃ

[EM CAM LENTA] Vários capangas da Irmandade estão armados, todos miram para a porta. (A música continua) 

CENA 7. FACHADA DO GALPÃO ABANDONADO/ INT./ MANHÃ

(A música para) A delegada Paula está na atrás do carro, mirando para porta com uma metralhadora.

DELEGADA PAULA (grita) – A-G-O-R-A!

Quando, os policias vão invadir o galpão, há uma grande explosão. [CAM LENTA] Os policiais caem no chão, com o impacto da explosão.

CORTA PARA:

CENA 8. ESTÚDIOS RECFAMA/ SET DE GRAVAÇÃO/ INT./ MANHÃ

SONOPLASTIA: VALENTIN BOOMES – FUSE [INSTRUMENTAL]

Há uma correria e confusão no set. Todos correm desesperados. Entra Dominique com quatro capangas, e Rui e Silvia estão amarrados, juntamente com Eloysa, Eva, Inês, Thaise e Vera, estão amarrados, todos em um pilar imenso.

DOMINIQUE (frio) – Aqui tudo começou… E aqui tudo vai terminar… Adeus, meus queridos, e queridas!

INÊS (alterada) – Nós ainda vamos nos encontrar, nem que seja no inferno… Eu ainda vou acabar com você… Papai!

ELOYSA – Seu monstro!

EVA – Maldito!

VERA (fraca, sangrando ainda) – Assassino!

SILVIA – Seu energúmeno… Você há de pagar por tudo quanto nos fizesse sofrer… Como pode trair sua própria filha?!

DOMINIQUE (irônico) – Se encontramos no inferno, minhas amadas filhas!

Ele sai. Os quatro capangas começam a jogar gasolina e álcool, por tudo quanto é lado, um dos capangas acende um isqueiro e joga. O fogo se alastra pelos rastros do álcool e da gasolina.  Todos começam a gritar.

FUSÃO COM:

CENA 9. FACHADA DO GALPÃO ABANDONADO/ EXT./ MANHÃ

(A música continua) A delegada anda em volta do galpão, ainda em chamas. Alguns policiais se aproximam.

POLICIAL 1 – O que deu errado, delegada?!

DELEGADA PAULA – Tudo… Isso daqui foi apenas uma armadilha!

POLICIAL 2 – Delegada, parece que Dominique e alguns da Irmandade foram visto nos estúdios do TV FAMA… E agora, o edifício está em chamas… Parece que tinha alguns reféns dentro do estúdio.

DELEGADA PAULA (correndo para seu carro) – Chamem os bombeiros, e vão correndo para lá… Já estou a caminho de lá.

CORTA PARA:

CENA 10. ESTÚDIOS RECFAMA/ SET DE GRAVAÇÃO/ INT./ MANHÃ

(A música para) O fogo continua alastrando-se, só que agora mais forte, do que nunca. Eva consegue se soltar, e começa a desamarrar Eloysa, que começa a soltar Inês e Silvia. Eva corre para desamarrar Vera.

EVA (tensa) – Anda Vera… Acorda amiga!

Vera, aos poucos, começa a reagir.

VERA – Eva estou sonhando… Você está aqui?!

EVA – Não delira, me ajude… A te ajudar…

Ela tenta sem sucesso, desamarrar Vera, que não resiste e morre.

EVA (tentando reanimar Vera) – Vera?! Vera?! Por favor, responda!

Ela vê o corpo de Vera, já inerte, e começa a chorar copiosamente, sobre o corpo da amiga. Eloysa arrasta a mãe, do corpo.

ELOYSA – Anda mãe… Vamos sair daqui… Ela morreu não tem como voltar atrás agora! Rápido, vamos escapar daqui!

EVA (soluça) – Eu não posso abandona-la!

Eloysa começa a puxar Eva para fora, do set. Nessa altura, Inês, Silvia e Thaise se foram. Eloysa avista Rui ainda preso, e volta para ajuda-lo.

ELOYSA – Anda Rui, tenta se soltar…

RUI (interrompendo Eloysa) – Não estou conseguindo!

Ele vê que não conseguirá se soltar a tempo.

RUI (para de se debater) – Por favor, Eloysa, me perdoe, por te fazer tanto mal… Seja feliz.

Eloysa continua sem sucesso, desamarrar Rui, mas, não consegue, ela começa a desesperar-se.

ELOYSA – Não, Rui… Eu vou conseguir…

RUI (interrompendo Eloysa) – Não, você não vai conseguir.

De repente, uma viga se solta do teto e cai sobre o corpo de Rui, que fica inerte, e Eloysa levanta-se e tenta correr para se salvar. Muito Ritmo.

CORTA PARA:

CENA 11. FACHADA DO ESTUDIO RECFAMA/ EXT./ MANHÃ

[CAM LENTA] Há bombeiros e policiais correndo para socorrer as vitimas do incêndio. Thaise e Inês são socorridas, e em seguinte, Vera e Eloysa. A CAM foca no incêndio, que logo, ocasiona numa enorme explosão, e a CAM vai se desfocando aos poucos.

LETREIRO: 1 SEMANA DEPOIS… 

CENA 12. STOCK-SHOTS/ PLANOS GERAIS DA ESPANHA/ EXT./ TARDE

SONOPLASTIA: KARMIN – HELLO

A CAM foca nas paisagens do verão espanhol. Ibiza fica no plano principal da tela. Ritmo Frenético.

CORTA PARA:

CENA 13. RESORT GRAND PALLADIUM PALACE IBIZA RESORT & SPA/ AREA DE LAZER/ EXT. / TARDE 

(A música para) Antonio Banderas se aproxima de uma mulher loira. A CAM revela ser Silvia.

ANTONIO BANDERAS (apaixonado) – Hola mi Diosa!

{TRADUÇÃO – Olá Minha Deusa!}.

SILVIA (sedutora) – Meu Galã, você chegou… Hum, sua deusa aqui estava morrendo de saudades… (ela faz biquinho) Tenho uma surpresinha para você!

Ela assobia, e Agnes aparece de lingerie, toda sensual e provocante. Silvia levanta e caminha até Agnes.

SILVIA (cochicha) – Dá uma sarrada no velho… Não o deixe insatisfeito.

AGNES (cochicha) – Pode deixar tia!

Silvia vai caminhando calmamente até o resort.

SILVIA (grita) – Aproveitem!

A CAM foca em Antonio Banderas e Agnes se beijando.

CORTE RÁPIDO:

CENA 14. RESORT GRAND PALLADIUM PALACE IBIZA RESORT & SPA/ APTO. DE ANTONIO BANDERAS / INT. / TARDE

A CAM foca num cofre ser aberto. E foca logo, em Silvia pegando todos os euros do cofre, e enfiando em uma maleta.

SONOPLASTIA: BRITNEY SPEARS – TOXIC

SILVIA (grita) – Eu tô rica! R-I-C-A…

Ela começa a cheirar os euros.

SILVIA (debochada) – Otário!

Ela sorri.

CENA 15. STOCK-SHOTS/ PLANOS GERAIS DO RIO DE JANEIRO/ EXT./ NOITE

(A música continua) A CAM foca no crepúsculo ao anoitecer na cidade maravilhosa. Ritmo Frenético. (A música para)

CORTA PARA:

CENA 16. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO/ SALA DA AUDITORIA/ INT./ NOITE

[Fora do Áudio] O juiz bate o martelo.

SONOPLASTIA: BEYONCE FT. JAY Z – CRAZY IN LOVE

JUIZ (off) – Eu julgo a ré Eloysa Diniz Castellamare culpada pelos crimes de homicídio triplamente qualificado e crime premeditado…

FUSÃO COM:

CENA 17. PENINTENCIÁRIA FEMININA DO RIO DE JANEIRO/ CELA/ INT./ NOITE

Lugar precário. Eloysa senta em seu colchão e avista Inês ao seu lado.

INÊS (irritada) – É coleguinha, estamos nós aqui de novo! Juntas… Frente a frente.

ELOYSA (sarcástica) – Parece que você não deu muita sorte…

INÊS (exaltada) – Os desgraçados da história fugiram… E nós aqui, dentro de uma cela nojenta e simplória da prisão… Mas, eles hão de pagar por tudo!

ELOYSA (alterada) – Isso me leva, ao nosso embate inicial, minha cara! Que tal, um pacto de sangue?!

INÊS – Do que está falando?

ELOYSA – Vamos nos vingar da Silvia e do Dominique, quando, sairmos daqui… O que acha?!

INÊS – Iniciativa excelente!

Eloysa estende a mão para Inês, que estende a sua também, as duas firmam com as mãos o pacto de vingança. (A música para)

ELOYSA (cética) – Aqui começa mais uma jornada!

INÊS (obcecada)– Dessa vez, não haverá xeque-mate que nos impeça de alcançar nossos objetivos.

ELOYSA – Dia de Detentas, Véspera de Justiceiras…

Elas se entreolham e sorriem.

SONOPLASTIA: ALABAMA SHAKES – HOLD ON

CLOSE NO APERTO DE MÃO DAS DUAS. ALTERNADOS ENTRE ELOYSA E INÊS.

A IMAGEM CONGELA NUM EFEITO SOMBRIO

[FIM]

SONOPLASTIA: ARCTIC MONKEYS – DO I WANNA YOU?

NOTA DO AUTOR – “É COM IMENSO PRAZER E SATISFAÇÃO E FINALIZO ESSA OBRA DELICIOSA, QUE COM CERTEZA FIZERAM AO LONGO DESSES 30 CAPÍTULOS: RIR, CHORAR, ODIAR E EMOCIONAR, COM A SAGA DE VINGANÇA DE INÊS, COM A AMBIÇÃO DE SILVIA, E O CARÁTER DUVIDOSO DE ELOYSA. AGRADEÇO DE CORAÇÃO A TODOS QUE ACOMPANHARAM ESSA TRAMA, E PEÇO DESCULPAS, PELOS PROBLEMAS COM A FALTA DE POSTAGENS DOS CAPÍTULOS, E AGRADEÇO PELA PACIÊNCIA PARA ESPERAR ATÉ O FINAL… OBRIGADO A TODOS, PRINCIPALMENTE AO MEU DIRETOR VINNY LOPES E A TODOS ENVOLVIDOS NA PRODUÇÃO. ATÉ A PRÓXIMA, E AGUARDEM ATÉ MINHA PRÓXIMA OBRA…”

Allan Sab, autor de JDF.

Escrita por
Allan Sab

Direção
Vinny Lopes

Realização
ADNTV Dramaturgia

ADNTV

banner inferior

Jogo de Feras – Penúltimo Capítulo

11870816_1018340531523300_7506997997627748409_n

UMA NOVELA DE ALLAN SAB

JOGO DE FERAS – CAPÍTULO 29 {Penúltimo}

228 - Cópia - Cópia (6)

CONTINUAÇÃO DA CENA ANTERIOR.

CENA 1. FACHADA DO GALPÃO ABANDONADO/ EXT./ NOITE

Rui caminha até duas pessoas amarradas em cadeiras.

Ele sorri sarcasticamente, da situação. A CAM revela as prisioneiras: Eva e Vera.

EVA (fraca) – Tire-nos daqui, filho do capeta!

VERA (grita) – Por favor, não fizemos nada!

Dominique aparece detrás das duas.

DOMINIQUE (enigmático) – Boa noite, minha amadas!

Eva e Vera se entreolham, assustadas. Dominique caminha calmamente até na frente das duas.

DOMINIQUE (chegando bem perto das duas) – Chegou a hora de brincarmos um pouco!

Dominique abre um sorriso malicioso.

[Abertura]

CORTE RÁPIDO:

CENA 2. GALPÃO ABANDONADO/ ESTOQUE/ INT./ NOITE

SONOPLASTIA: WEST ONE MUSIC – FOR EVERMORE [INSTRUMENTAL]

Eva e Vera estão amarradas em macas, elas se debatem para tentar se soltar, sem sucesso. Dominique caminha até o meio das duas, com um pequeno punhal. Ela passa pelos braços de Vera, com traços doentios. Rui observa tudo.

EVA (preocupada) – O que você vai fazer com a gente?!

DOMINIQUE – Fique tranquila, tenho certeza que vamos nos divertir bastante… Pelo menos eu vou! (risos) Vou perguntar apenas uma vez! Quem é a verdadeira mãe da Inês?!

Dominique faz um pequeno ferimento, no braço de Vera, que grita de dor.

DOMINIQUE (frio) – Já vou avisando… Que se eu não obtiver a resposta que quero isso daqui vai piorar muito!

Eva fica angustiada, enquanto, Vera chora de medo. Dominique encara as duas.

EVA – O que te interessa saber isso?!

DOMINIQUE – Minha querida filhinha merece saber o que passou desde que nasceu… A coitada acha que eu destruí a vida dela… Mas, ela mal sabe, que uma das minhas queridas mulheres, a tirou dos meus braços, anos atrás… Ela precisa saber a verdadeira vida que ela poderia ter levado comigo!

VERA (atônita, p/ Dominique) – Você quem destruiu a vida de todas nós… Desgraçou nossa vida, nos trouxe ódio, mágoas, rancor e desprezo… Agora, quer pagar de papaizinho preocupado… Francamente, um monstro frio e calculista teve algumas mudanças em algum tempo para cá!

DOMINIQUE (p/ Vera) – A verdade é uma só… Você sempre me subestimou, minha doce Vera! Sempre me rebaixava, mas, agora você está comendo na palma da minha mão!

VERA (p/ Dominique) – Você não me impressiona mais, muito menos, não me engana mais, você foi um erro na minha vida… Você me destruiu por dentro e por fora… Não vou deixar me manipular outra vez… Portanto, vou levar esse segredo para o tumulo, se quiser me machucar mais… Fique a vontade… Monstro desprezível.

DOMINIQUE (frio, p/ Vera) – Sempre soube que havia probabilidades, de vocês não abrirem o bico… Por isso, vou fazer uma demonstração, considere-se uma amostra grátis, da dimensão da minha monstruosidade!

Dominique levanta o punhal e finca na barriga de Vera, que urra e grita de dor, com os olhos lacrimejados. Ele aprofunda o ferimento, e tira o punhal do finco, rapidamente. Eva fica assustada e pasma, sem dizer qualquer palavra.

DOMINIQUE (frio, p/ as duas) – Tem certeza que querem mesmo ficar quietas?!

Vera começa a ofegar, enquanto, Eva fica aflita. Dominique abre um sorriso debochado.

[Suspense]

[Abertura]

CENA 3. DELEGACIA CENTRAL/ RECEPÇÃO/ INT./ NOITE

(A música continua) A delegada Paula conversa com o um inspetor. Quando, é surpreendida por um dos recepcionistas.

RECEPCIONISTA – Delegada, recebemos uma denuncia anônima que a Irmandade pode estar se escondendo num galpão abandonado na estrada 304.

DELEGADA PAULA – Ótimo! Chame o reforço, e mande as unidades para lá… Hoje, encurralamos esses marginais!

A delegada sai correndo.

CORTA PARA:

CENA 4. MANSÃO DOS DINIZ CASTELLAMARE/ SALA DE ESTAR/ INT./ NOITE

(A música continua) Estela, Sheila, Agostinho, Lucas e as crianças assistem apreensivos à televisão. A CAM foca nos repórteres falando dos raptos de Thaise, Inês, Eva e Vera.

SHEILA (temerosa) – Que horror! Cadê a polícia desse país…

LUCAS (complementa) – Isso não vai terminar bem!

Todos se entreolham apreensivos.

CENA 5. GALPÃO ABANDONADO/ INT./ NOITE

(A música para) Um capanga vem trazendo Thaise desmaiada.

SILVIA (debochada) – Pronto! Agora a família amada e querida, está toda reunida… Mas, como o destino é engraçado… Só falta nosso querido e velho papai.

Inês encara Silvia.

INÊS (fraca) – Pense bem, no que fez… Pois, isso não tem mais volta… Dominique é frio, não perdoa nem nada, nem ninguém… Quando ele achar que você não é mais útil, ele te descarta… Tome cuidado!

SILVIA (debochada) – Afinal, o que ele está fazendo?! Acho que deve estar matando! Então, quem diria, que seu próprio pai, é culpado, pela morte da estimável Joana!

Silvia abre um sorriso maléfico, enquanto, Inês fica cabisbaixa.

FUSÃO COM:

CENA 6. GALPÃO ABANDONADO/ ESTOQUE/ INT./ NOITE

A CAM foca no sangue jorrando, da maca de Vera, que está gravemente ferida. Eva continua tensa, mas, desta vez, tentando se livrar das cordas, que prendem suas mãos. Dominique está sentado numa poltrona preta, ao centro das duas. Vera continua chorando e urrando de dor.

DOMINIQUE (frio) – Tic Tac… O tempo continua passando… Apenas, você minha doce Eva, pode salvar a vida de sua grande amiga…

EVA (com lágrimas nos olhos, grita) – Eu falo… Mas, por favor, não machuque mais a Vera…

VERA (sussurra) – Não faça isso, Eva.

Dominique coloca a mão sobre o braço de Vera, que está encharcado de sangue, e ela se cala.

SONOPLASTIA: NEW DAY – SECOND SUSPENSE [INSTRUMENTAL]

DOMINIQUE (frio) – Chega de drama, e prossiga com esse segredo miserável!

EVA (chorando) – Sou eu! Sou eu a mãe da Inês… Fui eu que dei ela para Joana, para protegê-la das suas crueldades e maldades… F-U-I E-U!

Ela chora copiosamente.

~~~~ FLASHBACK ON ~~~~

LETREIRO: 28 Anos Atrás…

FLASHBACK/ CENA 7. MATERNIDADE/ BERÇARIO/ INT./ NOITE

A CAM foca em Eva (ainda jovem) entrando no berçário, ela entra silenciosamente, e caminha até uma incubadora, pega sua filha. FOCO TOTAL numa correntinha que está escrito: INÊS. Ela balança a filha. (A música para)

EVA (carinhosa) – Tudo vai ficar bem, minha querida!

A CAM foca em Inês, ainda bebê, dormindo profundamente. Ela caminha até a porta, abre e sai.

CORTA PARA:

FLASHBACK/ CENA 8. RUA CARIOCA/ EXT./ NOITE

SONOPLASTIA: ALEXANDRE GUERRA – SOMBRAS OUTONAIS [INSTRUMENTAL]

A noite está escura e chuvosa. Um grande caos acontece na rua. Enquanto, Eva caminha na chuva, protegendo Inês, do frio. Ela cobre a filha do frio e da chuva. A CAM vai acompanhando seus passos. Ela para perto de uma lata de lixo, ela coloca a filha dentro da lata.

EVA (com os olhos lacrimejando) – Que Deus lhe protega, minha Inês Elena!

Ela deixa a filha ali, e vai embora. RITMO MELANCÓLICO.

CORTE RÁPIDO:

FLASHBACK/ CENA 9. RUA CARIOCA/ EXT./ NOITE

(A música continua) Joana (ainda jovem) anda pela calçada, quando ouve o choro de uma criança. Ela para imediatamente.

JOANA (falando sozinha) – De onde está vindo esse choro?!

Ela abre a lata, e vê Inês chorando, ela pega a criança e coloca em seu colo.

JOANA – Calminha, meu amor… Mamãe chegou!

Ela faz carinho em Inês, que logo, para de chorar.

~~~~ FLASHBACK OFF ~~~~~ 

CENA 10. GALPÃO ABANDONADO/ ESTOQUE/ INT./ NOITE

DOMINIQUE (angustiado) – Então, você abandonou nossa filha numa lata de lixo…

Dominique fica emocionado.

EVA (interrompendo Dominique, chorando) – Você não pode me culpar! Afinal, eu a quis proteger do monstro que você é!

DOMINIQUE – Um erro não justifica o outro… Você é um monstro como eu… A verdade é que você destruiu a vida da nossa filha…

EVA (emocionada) – Mas, a minha intenção foi protegê-la.

DOMINIQUE (arrasado) – Sempre carreguei a culpa de vários assassinatos e vários crimes, nas costas… Mas, esse é todo seu!

EVA (chora) – Vou conviver com essa culpa para o resto da minha vida… Mas, a verdade é que não me arrependo de nada que fiz.

Dominique acerta uma forte bofetada em Eva, que cai no chão. Ele fica agoniado, e sai, enquanto, Eva chora desesperadamente, ela se debate no chão. (A música para)

[Tristeza]

CORTA PARA:

CENA 11. STOCK-SHOTS/ PLANOS GERAIS DO RIO DE JANEIRO/ EXT./ MANHÃ

Amanhece na cidade maravilhosa. Um lindo dia ensolarado. Ritmo Frenético.

FUSÃO COM:

CENA 12. FACHADA DO GALPÃO ABANDONADO/ EXT./ MANHÃ

SONOPLASTIA: JACOB PLANT – DROP THAT

A polícia prepara-se para invadir o galpão. Agitação e Euforia por partes dos policias, que estão fortemente armados.

CORTE RÁPIDO:

CENA 13. GALPÃO ABANDONADO/ INT./ MANHÃ

(A música continua) Rui corre até o meio do galpão, desesperado. Ele se aproxima de Dominique.

RUI (desesperado) – Mad Mestre! Estamos cercados pela polícia… O galpão está para ser invadido.

DOMINIQUE (vira-se) – Como é que é?

(A música para) Rui o encara apreensivo.

SONOPLASTIA: FIFTY HARMONY FT. KID INK – WORTH IT

CLOSE EM DOMINIQUE TENSO.

A IMAGEM CONGELA NUM EFEITO SOMBRIO

[Fim do Capítulo]

#CONTINUA NO PRÓXIMO CAPÍTULO

Escrita por
Allan Sab

Direção
Vinny Lopes

Realização
ADNTV Dramaturgia

ADNTV

banner inferior

Jogo de Feras – Antepenúltimo Capítulo

11870816_1018340531523300_7506997997627748409_n

UMA NOVELA DE ALLAN SAB

JOGO DE FERAS – CAPÍTULO 27 {Última Semana}

228 - Cópia - Cópia (6)

CONTINUAÇÃO DA CENA ANTERIOR.

CENA 1. GALPÃO ABANDONADO/ INT./ NOITE

Lugar completamente sombrio e escuro. Inês caminha assustada pelos corredores do galpão, até que uma luz acende, em 30 cm de distância. Ela para de andar, e repara uma pessoa vestida de preto.

INÊS (assustada) – Quem é você?!

A pessoa levanta a cabeça calmamente, ela vai revelando seu rosto é Dominique.

INÊS (com a voz tremula) – Não pode ser! Você havia morrido…

Dominique estende os braços. (A música para)

DOMINIQUE (sarcástico) – Não vai dar um abraço no seu pai, filhinha?

Inês escuta um barulho de engatilho. Ela percebe Silvia, com uma pistola mirada em sua cabeça.

SILVIA (debochada) – Surprise, irmãzinha!

[Abertura]

Inês está ofegante. Silvia a encara ferozmente, e Dominique sorri diabolicamente.

INÊS (surpresa) – Como assim?! Não estou compreendendo!

SILVIA – Não é necessário entender, minha cara!

INÊS – O que você está falando sua assassina!

Alguns capangas seguram Inês, que tenta avançar contra Silvia, que dá gargalhadas debochadas.

SONOPLASTIA: VALENTIN BOOMES – FUSE [INSTRUMENTAL]

SILVIA (venenosa) – Então, você acha mesmo que eu sou culpada, por toda sua desgraçada, minha cara! Vou dizer uma coisa… Você está completamente e redondamente enganada… Sabe quem é culpado oficialmente pela morte da sua mamãezinha?! Sabe?

DOMINIQUE (exaltado) – Cale a boca, Silvia! 

~~~~ FLASHBACK ON ~~~~ 

LETREIRO: GENEBRA, SUIÇA 2003.

FLASHBACK/ CENA 2. GENEBRA (SUIÇA)/ CARRO DE DOMINIQUE/ INT./ NOITE

(A música continua) Silvia e Dominique conversam [Fora do Áudio]

SILVIA (off) – Foi seu querido papaizinho, que me influenciou a matar sua mãe… A verdade é Eloysa já estava cética que deveria matar sua mãe, por medo de perder sua promiscua carreira, ela simplesmente falhou, e seu querido papai, me evidenciou de encarregar de eliminar, caso, Eloysa falhasse. Foi então, que eu entrei em ação.

Dominique entrega uma pistola à Silvia, que sorri para Dominique.

DOMINIQUE (dentro da cena) – Quero que você elimine a Joana!

SILVIA (dentro da cena) – Que dia?!

DOMINIQUE (dentro da cena) – Hoje! Prove que você é fiel a Irmandade, dê um ponto final a vida da Joana, se precisar mate até mesmo minha filha!

Eles se entreolham, com traços doentios.

CORTA PARA:

FLASHBACK: CENA 3. GRANDE TEATRO DE GENEBRA / SALÃO PRINCIPAL/ INT./ NOITE

(A música continua) Eloysa está atrás de uma mesa virada, ela está ofegante, ela segura uma pistola. A CAM foca nela com o semblante de aterrorizada.

FUSÃO COM:

FLASHBACK: CENA 4. GRANDE TEATRO DE GENEBRA/ PALCO/ INT./ NOITE

(A música prossegue) Joana está com um microfone nas mãos. Ao lado dela, está uma mesa com uma metralhadora em cima. Joana pega a metralhadora em cima da mesa. Ela solta o microfone, e mira em algumas mesas, e começa a atirar. A CAM corta rapidamente para o lugar onde está Eloysa paralisada de medo. Silvia chega e começa a encara-la fixamente.

SILVIA (fora do áudio)- Atira!

A CAM foca já em Joana de costas. Silvia tira a arma das mãos de Eloysa, efetua dois disparos contra Joana.

SILVIA (off)- Infelizmente, Eloysa foi fraca e covarde demais, para aniquila-la. Então, eu peguei a pistola das mãos da Eloysa, e efetuei os dois tiros que mataram Joana Orlandini Barbosa Rangel! É isso mesmo… E-U M-A-T-E-I A J-O-A-N-A.

A CAM mostra Joana caindo no chão, bruscamente. Silvia foge dali.

~~~~ FLASHBACK OFF ~~~~

CENA 5. GALPÃO ABANDONADO/ INT./ NOITE

(A música para) Inês encara fixamente Dominique, não acreditando, no que acabará de ouvir.

SONOPLASTIA: JACOB PLANT – DROP THAT

DOMINIQUE (irônico) – Tenho mais uma convidada, para o nosso recontro… Isso daqui está ficando melhor, do que eu pensava!

Um capanga arrasta Eloysa, até o centro do galpão e a joga no chão. Inês encara Eloysa, que está fraca e ofegante.

SILVIA (irritada) – Nós não combinamos isso papai!

DOMINIQUE – Paciência, minha cara… Sua vez vai chegar!

Ele caminha para perto de Inês, ele estende a mão, com uma pistola para a filha.

DOMINIQUE – Vou dar a chance de se redimir comigo! Mate a Eloysa…

Inês levanta a cabeça para o pai, e o encara. Inês pega a pistola da mão de Dominique, levanta-se e caminha até Eloysa, ela mira a arma na cabeça de Eloysa.

DOMINIQUE – Mate ela, minha filha… Mata!

[Suspense]

CENA 6. DELEGACIA CENTRAL/ SALA DA DELEGADA/ INT./ NOITE

(A música continua) A Delegada senta na poltrona, ela está com o braço enfaixado.

DELEGADA PAULA (exausta) – Nossa missão foi uma falha sem precedentes… Parece que eles já estavam a nossa espera!

Um policial invade a sala, desvairado.

POLICIAL 1 – Delegada, levaram a detenta Eloysa Diniz!

DELEGADA PAULA (surpresa) – Como é que é?

POLICIAL 1 – A Irmandade deixou um recado…

A Delegada fica apreensiva.

CORTA PARA:

CENA 7. GALPÃO ABANDONADO/ INT./ NOITE

(A música continua) Inês continua a mirar na cabeça de Eloysa, que está cabisbaixa, ofegante. Silvia encara a irmã, com um sorriso.

SILVIA – O que está esperando, minha querida! Está com medo, é maninha?!

Inês está ofegante, e lança a pistola no chão.

SILVIA (debochada) – Foi o que eu imaginei!

DOMINIQUE (frio) – Uma pena isso… Te dei uma chance para se reconciliar comigo, minha cara! Mas, parece que sua covardia é maior! Patética…

Dominique se retira do local. Enquanto, Silvia saboreia a derrota de sua irmã.

FUSÃO COM:

CENA 8. FACHADA DO GALPÃO ABANDONADO/ EXT./ NOITE

(A música para) Rui caminha até duas pessoas amarradas em cadeiras.

Ele sorri sarcasticamente, da situação. A CAM revela as prisioneiras: Eva e Vera.

EVA (fraca) – Tire-nos daqui, filho do capeta!

VERA (grita) – Por favor, não fizemos nada!

Dominique aparece detrás das duas.

DOMINIQUE (enigmático) – Boa noite, minha amadas!

Eva e Vera se entreolham, assustadas. Dominique caminha calmamente até na frente das duas.

DOMINIQUE (chegando bem perto das duas) – Chegou a hora de brincarmos um pouco!

Dominique abre um sorriso malicioso.

CORTE RÁPIDO:

CENA 9. GALPÃO ABANDONADO/ ESTOQUE/ INT./ NOITE

Eva e Vera estão amarradas em macas, elas se debatem para tentar se soltar, sem sucesso. Dominique caminha até o meio das duas, com um pequeno punhal. Ela passa pelos braços de Vera, com traços doentios. Rui observa tudo.

EVA (preocupada) – O que você vai fazer com a gente?!

DOMINIQUE – Fique tranquila, tenho certeza que vamos nos divertir bastante… Pelo menos eu vou! (risos) Vou perguntar apenas uma vez! Quem é a verdadeira mãe da Inês?!

Dominique faz um pequeno ferimento, no braço de Vera, que grita de dor.

DOMINIQUE (frio) – Já vou avisando… Que se eu não obtiver a resposta que quero isso daqui vai piorar muito!

SONOPLASTIA: ARCTIC MONKEYS – DO I WANNA KNOW?

Eva fica angustiada, enquanto, Vera chora de medo. Dominique encara as duas.

CLOSE ALTERNADO ENTRE EVA, VERA E DOMINIQUE.

A IMAGEM CONGELA NUM EFEITO SOMBRIO

[Fim do Capítulo]

#CONTINUA NO PRÓXIMO CAPÍTULO

Escrita por
Allan Sab

Direção
Vinny Lopes

Realização
ADNTV Dramaturgia

ADNTV

banner inferior

Jogo de Feras – Capítulo 27 (Última Semana)

11870816_1018340531523300_7506997997627748409_n

UMA NOVELA DE ALLAN SAB

JOGO DE FERAS – CAPÍTULO 26 {Última Semana}

228 - Cópia - Cópia (6)

CONTINUAÇÃO DA CENA ANTERIOR.

CENA 1. DELEGACIA CENTRAL/ ALA DAS PRISÕES/ INT./ MANHÃ

Silvia entra na cela. Eloysa está agachada, cabisbaixa.

SILVIA (alterada) – Olha como a vida é uma caixinha de surpresas?! Enquanto, eu estou no topo, você está na sarjeta… E o pior, você foi alvo fácil, em todas as nossas disputas… Uma idiotinha caiu feito uma patinha desengonçada em todo nosso esquema!

Eloysa levanta a cabeça ante a rival, e a encara.

ELOYSA (perplexa) – Do que você está falando?

SILVIA (andando em volta da cela) – Estou falando, das armações na empresa, armações contra você e sua família medíocre.

ELOYSA (surpresa, exaltada) – Sua ordinária…

Eloysa avança contra Silvia, com um objeto pontiagudo.

ELOYSA (grita) – Eu vou te matar, sua desgraçada!

Silvia começa a gargalhar.

SILVIA (debochada) – Você não vai matar ninguém! Sabe o por quê?

Eloysa a encara fixamente, ainda, estendendo a mão com o objeto pontiagudo. (A música para)

SILVIA (debochada) – Porque você não é uma assassina como eu!

Silvia a encara, com um sorriso maléfico, e Eloysa fica espantada.

ELOYSA – Não pode ser!

SILVIA – Mas, é a verdade minha cara! Quem você acha que matou a Joana? Não me diga que você teve tanta coragem para isso… Não gaste sua saliva, fui eu que matei! E-U!

ELOYSA – Eu passei anos me remoendo de culpa e remorso… Todos esses anos, com rancor! Para no final, descobrir que você é a culpada de todo esse meu sofrimento!

SILVIA – Acabou o teatrinho?! Não estou disposta a ter que ver essa sua encenação de quinta categoria, Elozinha! Te manca, baranga!

ELOYSA – Você veio me matar, sua vagaba?!

SILVIA – Antes fosse! Tô aqui para te levar para passear…

Silvia assobia, e seus capangas agarram Eloysa, e a leva dali. Silvia sai logo atrás.

SILVIA – Otária!

[Abertura]

CENA 2. MANSÃO DOS BRAGA LAPORT/ SALA DE ESTAR/ INT./ MANHÃ

INÊS – O que é?!

AGNES – Ou você vem com a gente, ou nós matamos essa linda menina?

THAISE (grita com os bandidos) – Me soltem!

AGNES – Você vem ou não vem?!

Agnes aponta uma pistola, e mira na cabeça de Thaise.

AGNES – Você decide!

Inês fica perplexa, e Agnes abre um sorriso debochado.

INÊS – O que tenho que fazer?

AGNES (grita, p/ os capangas) – Peçam reforços… E levem a garota junto, como garantia de que essa dai não vai tentar qualquer fuga.

Os capangas levam Inês e Thaise. Enquanto, Agnes observa uma foto de Gonçalo e Silvia, ela mira a pistola na foto e atira.

SONOPLASTIA: VALENTIN BOOMES – FUSE [INSTRUMENTAL]

CORTA PARA:

CENA 3. RUA CARIOCA/ BECO/ EXT./ MANHÃ

(A música continua) Alguns capangas da Irmandade andam armados, pela rua. Tem alguns carros importados encostados na calçada. Num deles, Dominique e Ravier observa-los de longe.

DOMINIQUE – Achei que estaria lá fora com eles?! Tomou juízo, meu caro?

RAVIER – Aprendi rápido… Com o melhor!

Ele entreolha Dominique, que sorri maldosamente.

DOMINIQUE – Pensei que ia negar meus pedidos?

RAVIER – Mudei de ideia após algumas visitas!

~~~~ FLASHBACK ON ~~~~

FLASHBACK/ CENA 4. PORTO (PORTUGAL) / APTO. DE RAVIER/ SALA DE ESTAR/ INT./ NOITE

(A música continua) Ravier recebe uma visita inesperada. A CAM foca na visita é Gonçalo.

GONÇALO – Porque a surpresa?

RAVIER (pasmo) – Você?!

GONÇALO (vestido de capa preta) – Pensei que já tivesse pronto! A Irmandade está a sua espera.

RAVIER – Não posso trair a Inês…

GONÇALO (irônico, interrompendo Ravier) – Tenho a absoluta certeza, que o Mad Mestre pensa ao contrário.

Irineu entra na sala, apontando uma pistola para Lohana, que está pasma com a situação. Ravier encara Irineu.

~~~~ FLASHBACK OFF ~~~~ 

CENA 5. RUA CARIOCA/ BECO/ EXT./ MANHÃ

(A música continua) A polícia toma conta do local. Policiais cercam a área. Muito Ritmo.

DOMINIQUE – Que sirene é essas?!

Ravier faz menção de sair do carro, mas, Dominique o impede.

DOMINIQUE (irônico) – Fique em seu devido lugar! O show já vai começar…

Um policial atira para o alto. Pessoas que estão nas ruas, correm desesperadas. A Irmandade, responde as ameaças com explosões de bombas-caseiras. Um tiroteio inicia, causando pavor nas pessoas, que correm, para se proteger. Muita Ação.

RAVIER – Eles não vão resistir!

DOMINIQUE – E quem disse que eu quero que eles resistam!

Uma explosão acontece, perto do carro. A delegada Paula é atingida pela explosão.

POLICIAL – Delegada?!

Ele socorre a delegada. Dominique observa o show de longe, ele abre um sorriso diabolicamente satisfeito.

CORTA PARA:

CENA 6. AVENIDA BRASIL/ CARRO DE AGNES/ INT./ MANHÃ

(A música para) Os capangas ainda estão apontando a pistola na cabeça de Thaise. Agnes está enigmática. Ela para o carro, e desce, uma van estaciona e os capangas jogam Thaise.

INÊS (perplexa, p/ Agnes) – Para onde estão levando ela?

AGNES – Vocês vão continuar o passeio de vocês, nessa van… Espero que você não seja burra de tentar nada contra alguns dos nossos capangas… Ou mando estourarem os miolos dessa indefesa garotinha!

INÊS – Como assim nossos?

AGNES (irritada) – Não seja importuna e hipócrita e pare de fazer perguntas, faço o que eu mando, que sairá dessa vida, pelo menos, é o que acho, minha cara… Você não acha mesmo que estou nessa sozinha?! Acha?

INÊS – Não importa…

Antes, de terminar a frase, um capanga puxa Inês para dentro da van, que parte, cantando pneu.

AGNES – Bye Bye!

FUSÃO COM:

CENA 7. STOCK-SHOTS/ PLANOS GERAIS DO RIO DE JANEIRO/ EXT./ NOITE

SONOPLATIA: NEW DAY – SECOND SUSPENSE [INSTRUMENTAL]

A noite chega à cidade maravilhosa, acompanhada de uma forte tempestade, que se aproxima com grande furor, já chove vorazmente. A CAM foca nas avenidas e ruas alagadas, e carros num extenso congestionamento. Ritmo Frenético.

CORTE RÁPIDO:

CENA 8. GALPÃO ABANDONADO/ INT./ NOITE

(A música continua) Lugar completamente sombrio e escuro. Inês caminha assustada pelos corredores do galpão, até que uma luz acende, em 30 cm de distância. Ela para de andar, e repara uma pessoa vestida de preto.

INÊS (assustada) – Quem é você?!

A pessoa levanta a cabeça calmamente, ela vai revelando seu rosto é Dominique.

INÊS (com a voz tremula) – Não pode ser! Você havia morrido…

Dominique estende os braços. (A música para)

DOMINIQUE (sarcástico) – Não vai dar um abraço no seu pai, filhinha?

Inês escuta um barulho de engatilho. Ela percebe Silvia, com uma pistola mirada em sua cabeça.

SILVIA (debochada) – Surprise, irmãzinha!

SONOPLATIA: BEYONCE FT. JAY Z  – CRAZY IN LOVE

Inês fica ofegante.

CLOSE EM INÊS SEM REAÇÃO.

A IMAGEM CONGELA NUM EFEITO SOMBRIO

[Fim do Capítulo]

#CONTINUA NO PRÓXIMO CAPÍTULO

Escrita por
Allan Sab

Direção
Vinny Lopes

Realização
ADNTV Dramaturgia

ADNTV

banner inferior