O Novo Messias – Capítulo 10

UMA NOVELA DE PRISCILA BORGES

228-copia-copia-6-copia

CENA 01. BOATE LACANDA. INTERIOR. NOITE:

Penéllope aos beijos com o Mariano. Luana se aproxima em choque.

LUANA     – Mariano!

O beijo é interrompido.

PENÉLLOPE – Olá queridinha.

MARIANO   – Eu posso explicar Luana.

PENÉLLOPE – Explicar o que? Diga logo a verdade. Nós dois estamos juntos Luana.

LUANA     – Vadia!

Ela desfere um tapa na cara da Penéllope. Iris separa as duas.

IRIS      – Isso aqui não é lugar de brigar não. Fora daqui Penéllope!

PENÉLLOPE – Você não pode me expulsar daqui.

IRIS      – Não posso?

Iris pega a Penéllope pelos cabelos e a leva até a porta. Ela abre a porta e taca a Penéllope no chão.

IRIS      – Você tem certeza que eu não posso? Vá embora daqui e não volte.

Ela fecha a porta e vai até o bar.

IRIS      – Quanto a vocês dois tratem de se entenderem. E não seja um babaca Mariano.

Ela sai.

MARIANO   – Eu juro que não beijei ela. Ela chegou aqui do nada dizendo que tinha um encontro comigo, mas eu não tinha marcado nada.

LUANA     – Ela é louca! Ela quer me provocar! Você jura pra mim que não a beijou?

MARIANO   – Eu juro. Foi ela que me beijou, quando você chegou eu estava tentando sair do beijo.

LUANA     – Essa é a pior mentira que já ouvi, mas eu aceito ela. Se ela vir atrás de ti novamente eu mato os dois.

MARIANO   – Eu não estou mentindo, juro. Eu não gosto dela e não gostei daquele beijo.

LUANA     – Nós estamos juntos?

MARIANO   – Eu também não gosto de você, nós nos conhecemos agora. Nem fez uma semana. Mas eu posso lhe conhecer melhor, sair contigo e quem sabe a paixão surge.

Ela o beija. Mariano a agarra e começa a beijar o pescoço dela. Ela o interrompe.

LUANA     – Você disse que queria me conhecer melhor, então nós vamos nos conhecer melhor antes de rolar pela segunda vez.

Ela sai rebolando. Mariano olha o rebolado, encantado.

 

CENA 02. BOATE LACANDA. QUARTO. INTERIOR. NOITE:

Salomé e Dario estão deitados na cama. Ambos nus. Conversa já iniciada.

SALOMÉ    – Eu amo você ser tão romântico.

DARIO     – Eu amo você inteira. (pausa) Eu quero sair de casa, casar com você, tirar você daqui.

SALOMÉ    – Eu amo você, mas isso aqui é a minha casa, o meu lar. Tudo o que eu sei, eu aprendi aqui. E eu não posso deixar a Gudea e a Iris de lado. Nunca!

DARIO     – Eu entendo minha querida e eu também tenho muito carinho pela Iris. E você vai poder continuar vindo aqui, eu só quero que pare de fazer programa.

SALOMÉ    – Eu posso pensar no assunto?

DARIO     – É claro minha linda. Eu ainda preciso preparar o terreno lá em casa.

SALOMÉ    – Ela sabe que você vem aqui.

DARIO     – Eu sei que sabe, mas ela também deve ter os amantes dela.

SALOMÉ    – A Maria? Eu duvido.

DARIO     – Eu também duvidava, mas essas saídas à noite, ela está misteriosa.

SALOMÉ    – Eu daria tudo pra ver a cara do Jacobina vendo a Maria com outro.

DARIO     – E se o amante for o Jacobina?

SALOMÉ    – Nós estamos falando do mesmo Jacobina? O padre? Isso é impossível!

DARIO     – É, deve ser.

Eles se beijam. Salomé monta nele.

 

CENA 03. CASA DO HERCULANO. QUARTO. INTERIOR. NOITE:

Herculano está deitado na cama. Penéllope entra, taca a bolsa no chão e sai. Ele levanta e pega o celular, faz uma ligação.

HERCULANO – Iris.

IRIS      – (off) O quer agora?

HERCULANO – A Penéllope esteve aí?

IRIS      – (off) Esteve com um cara no bar. Eles estavam aos beijos. Ela me pediu um quarto, mas eu não dei em respeito a você.

HERCULANO – E porque não a impediu de beijá-lo?

IRIS      – (off) E eu sou babá de puta? O meu dever é cuidar dos meus. Você cuida da sua.

HERCULANO – Ela não é puta!

IRIS      – (off) Tem certeza? Eu acho que vi ela recebendo um dinheirinho. É melhor olhar na bolsa dela pra ter certeza.

Ele pega a bolsa e vê dinheiro dentro.

HERCULANO – Tem dinheiro aqui, mas deve ser o dinheiro que eu dei pra ela.

IRIS      – (off) Você tem certeza?

HERCULANO – Não, mas ela/

IRIS      – (off/corta) Mas ela não faria isso? O beijo que eu vi diz que ela faria.

HERCULANO – Só existe uma cafetina na cidade e é você. Será que é um novo?

IRIS      – (off) Não, se tivesse eu saberia. Eu acho que ela está trabalho por conta própria. Ela é bonita, acho que vou fazer uma proposta pra ela.

HERCULANO – Você não vai fazer isso!

Ele desliga.

 

CENA 04. CASA DA MARIA. SALA. INTERIOR. NOITE:

Maria está sentada no sofá lendo uma revista. Dario entra e se aproxima.

MARIA     – Eu jantei sem a Luana e sem você. Isso significa que eu estou ficando sem ninguém?

DARIO     – Não. Isso significa que todos têm algo pra fazer menos você.

MARIA     – É o travesti? O seu amante é o travesti de merda?

DARIO     – Boa noite Maria.

MARIA     – É a Capitu do Nordeste?

DARIO     – Vá dormir que é o melhor que você pode fazer. Boa noite.

Ele sai. Ela desata a chorar.

 

CENA 05. BOATE LACANDA. INTERIOR. DIA:

Luana entra e encontra o Mariano conversando com a Iris. Ela se aproxima.

LUANA     – Eu disse a minha mãe que fui comprar pão então tenho que ser rápida.

MARIANO   – Bom dia linda.

Eles se beijam.

LUANA     – Só passei aqui pra isso. Mais tarde a gente se vê?

MARIANO   – Claro.

Ela o beija novamente e sai. Ele encara a Iris.

IRIS      – Resolveu seguir o meu conselho?

MARIANO   – Estou tentando não ser um babaca.

IRIS      – Acho que está conseguindo.

 

CENA 06. CASA DO HERCULANO. SALA. INTERIOR. DIA:

Herculano desce as escadas e encontra a Penéllope sentada no sofá.

HERCULANO – Chegou tarde ontem.

PENÉLLOPE – Estava com meus amigos.

HERCULANO – Imagino que amigos são esses.

PENÉLLOPE – Você não é a pessoa certa para falar sobre isso comigo.

HERCULANO – Eu quero entender por quê.

PENÉLLOPE – O porquê é simples: eu apanhei de ti, eu fui estuprada por você, mas mesmo assim eu me apaixonei e agora você diz que vai voltar a ter as suas meninas. E eu? Eu fico na merda? Não querido! Eu dou a volta por cima e faço o mesmo contigo.

HERCULANO – Quem é idiota do bar?

PENÉLLOPE – Que idiota do bar?

HERCULANO – O idiota que você estava ontem. A Iris viu tudo e me contou.

PENÉLLOPE – (ri) Você confia mesmo na Iris? Para de ser idiota! Ela vai de foder assim que poder.

Ela levanta e ia sair, mas o Herculano pega no braço dela.

HERCULANO – Você não sai mais a noite.

PENÉLLOPE – E quem vai me proibir?

Ela se solta e sai.

 

CENA 07. BOATE LACANDA. FRENTE. EXTERIOR. DIA:

Gudea está fumando frente a boate. Mariano sai e se aproxima.

MARIANO   – Você é o que eu menos falo por aqui. Nem sei muito sobre você.

GUDEA     – Prazer, Gudea. Já eu sei tudo sobre você. Eu sei que é o sobrinho da Iris e que é um enviado de Deus.

MARIANO   – Mais um que acredita nisso?

GUDEA     – Posso não parecer, mas amo Deus e ele existe queridinho.

MARIANO   – Ele não existe.

GUDEA     – Não vou entrar numa discussão com você sobre isso porque acho isso totalmente desnecessário.

MARIANO   – Já gostei de você.

GUDEA     – E eu de você.

Eles sorriem.

 

CENA 08. CASA DA MARIA. FRENTE. EXTERIOR. DIA:

Luana está prestes a entrar. Ela segura um saco de pãos. Penéllope surge.

LUANA     – O que você quer aqui?

PENÉLLOPE – Eu vim aqui dizer que não vou desistir do Mariano nem tão cedo.

LUANA     – Você não gosta dele. Todo mundo sabe que você ama o Herculano.

PENÉLLOPE – Mas ele não me ama.

LUANA     – E você quer usar o Mariano pra fazer ciúmes? Isso é ridículo!

PENÉLLOPE – Se todo mundo pode usar o Mariano, eu também posso.

LUANA     – Tenha um ótimo dia Penéllope.

Ela entra e fecha o portão.

 

CENA 09. BOATE LACANDA. INTERIOR. DIA:

Iris está fumando e Salomé se aproxima.

IRIS      – Está com uma cara estranha.

SALOMÉ    – O Dario me pediu em casamento. E eu disse que por enquanto não posso sair daqui.

IRIS      – E por que não? Nada lhe prende aqui. Ele é o seu único cliente fixo. A Gudea vai continuar te vendo todos os dias e eu também.

SALOMÉ    – Eu sei, mas essa é a minha casa.

IRIS      – Isso aqui não é uma casa, minha linda. E eu preciso que você e a Gudea sejam felizes.

SALOMÉ    – Obrigada Iris. E quanto ao escândalo que rolou aqui ontem?

IRIS      – Ficou sabendo? Eu dei um jeito pra que e a Penéllope não volte mais aqui.

SALOMÉ    – E qual foi?

IRIS      – Botei o Herculano atrás dele que nem um cão atrás de um osso.

As duas riem.

 

CENA 10. CASA DA MARIA. COZINHA. INTERIOR. DIA:

Maria está cozinhando e Luana entra com os pães. Ela bota o saco na mesa.

MARIA     – Eu tive uma ideia e vou precisar da sua ajuda Luana.

LUANA     – Diga.

MARIA     – Eu quero explodir a boate Lacanda.

FIM DO CAPÍTULO

ESCRITO POR

Priscila Borges

COLABORAÇÃO POR

Yuri Neves

Realização
ADNTV Ficção 2016

nqvvrtareuuaqmx83pte6q_r

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s