Clichê Adolescente 3 – Antepenúltimo Capítulo

logoalternativoca3

UMA NOVELA DE LUCAS OLIVEIRA 

DIREÇÃO DE VINNY LOPES  

228 - Cópia - Cópia (6)

CENA 01 – MANSÃO GARCIA – SALA DE ESTAR – MANHÃ

Com dor de cabeça, e ainda preocupada com Cristiano, Luma está deitada no sofá. A sirene toca e sua empregada vai atender. Ao se dá conta, percebe a presença de duas pessoas estranhas já no meio de sua sala:

 Luma: Mas o que é isso? Que invasão é essa?

Jaciane: É a senhora que é a socialite Luma Garcia do Amaral?

Luma: Sou eu sim, porque? – Diz ao levantar-se.

Jaciane: É com a senhora mesmo que eu quero falar! Temos um assunto urgente pra tratar com você, e eu acho que é do seu interesse – Diz ela, que está ao lado de Paco.

Luma questiona-se confusa, ainda sem consegui entender o que estava acontecendo.

Luma: Que assunto?

Paco: Bandidagem! A senhora sabe que sua filha está envolvida com um, não é?

Luma: Estava! Mas eu cortei o mal pela raíz. Como o você sabe disso?

Paco: Sou delegado! – Diz e mostra seu cartão.

Jaciane: Desculpe, mas a senhora é muito burra! É lógico que sua filha não deixou de ver  bandido nenhum. Ela simplesmente encontra escondido. Aliás o que faz todos os filhos, quando têm a reprovação dos pais em alguma coisa.

Luma: Como sabe disso? Quem é você, afinal?

Jaciane: Sou ex mulher do malandro, que sua filha está envolvida. Só que além de assaltos, tráficos e outras coisas, aquele desgraçado me iludiu, assim como está iludindo sua filha, me usou! Casou comigo, mas continuava me traíndo. E depois que descobriu que estava grávida, me forçou a tirar a criança pra não atrazar a vida dele.

Luma: Nossa! – Diz chocada, sentando-se no sofá em seguida – Eu não acredito que a Karla, possa estar se envolvendo com um cara desses.

Jaciane: Mas é exatamente por isso que eu lhe procurei. Quero vingança! O que aquele miserável fez comigo é imperdoável! E aí, a senhora fecha com a gente?

Luma: Claro! – Diz apertando a mão de Jaciane – Se é pra tirar um tipo desse da vida de minha filha de uma vez por todas, eu topo tudo!

Jaciane: Ótimo! Então a primeira coisa é o seguinte: Recentemente o Dado foi preso, mas saiu. E consequentemente a Karla sabe onde ele está. Eu e o Paco vamos nos esconder e quando ela chegar aqui, você finge que nada aconteceu… – Continua falando.

CENA 02 – CASA MIRELY – SALA DE ESTAR – TARDE

Mirely está sentada no sofá terminado de arrumando sua pasta de trabalho. César está tomando café da manhã e Isadora próximo a patroa. Nesse instante, Gedeon entra afobado em casa:

Mirely: Quê isso, meu filho. Isso é jeito de chegar? Aconteceu alguma coisa?

Gedeon: Aconteceu sim mãe. O Caio finalmente conseguiu pagar o apartamento dele em copacabana.

Mirely: Mas quem é Caio?

Gedeon: Bom, mãe…Caio, é meu namorado!

César engasga com o café e Mirely se sente surpresa:

Mirely: Como assim, Gedeon? Você está me dizendo que é gay? Mas e aquele papo de namorada bonita no exterior, de pegação geral enquanto estudava. Era mentira?

Gedeon: (QUASE CHORANDO) O que eu podia fazer, mãe? Eu já tinha percebido que você e o papi já tinha sacado o meu jeito e que não ficaram nada contentes. Não queria dá disgosto para vocês. Também tive medo de ir parar na rua se contasse. Mas agora chega! Se vocês não me quiserem mais como filho, se quiserem que eu suma de suas vidas, eu tenho a casa do Caio pra ir. Não fico desamparado.

Mirely chora. Não imaginava ouvir daquilo. No fundo ela já sabia, só não estava preparada pra receber a confirmação naquele momento. César está calado.

Gedeon: Vocês não vão falar nada?

Mirely: Vá, meu filho! Vá viver com seu namorado e seja feliz. Mais não esqueça: sua mãe continuará aqui! Porque não me falou isso antes?

Gedeon se emociona. César toma impulso e resolve falar:

César: Bem…Já que estamos em um momento de revelação, acho que essa é a hora certa de botarmos tudo no seu devido lugar de uma só vez.

Isadora encara César,com medo do que ele possa falar.

César: Mirely, eu e a Isadora estamos tendo um caso! Eu e você, não rola mais. Vou sair dessa casa, junto com ela. pronto, falei!

Mirely: O que? Isso é verdade, Isadora?

Isadora: É…Pior que sim, Dona Mirely. Mas me perdoa, eu não tive cultpa. Aconteceu…Paixão é assim mesmo. Chega sem avisar e a gente não consegue controlar. Mas a verdade, é que eu estou sim apaixonada pela seu marido. E muito!

Mirely: (ABSMADA E UM POUCO SEM AR) Meu Deus! Eu estou chocada. Logo você? Uma bolsista que eu estendir a mão, que se não fosse por mim, estaria dormindo na rua e sem comer, porque tinha saído da casa do primo tarado?! Nossa! É assim que você me agradeci, roubando meu marido?

Isadora: Eu já disse que não é assim, Dona Mirely. Por favor, deixa eu explicar…

Mirely: Meu Deus, meu Deus – Diz muito nervosa – Você sabia disso Gedeon? – Pergunta ela e ver o filho confirmando com a cabeça – Então porque não me falou nada?

Gedeon: Mãe, quando eu vi aquela cena horrível desses dois se agarrando nesse sofá, a primeira coisa que eu pensei foi em te contar. Mas Isadora, não sei como, descobriu meu caso com o Caio e me chantagiou. E eu com medo, mãe, foi o medo que me paralisou e fiquei calado!

Mirely: (MUITO NERVOSA) EU NÃO QUERO ESCUTAR MAIS NADA! – Grita – Vão embora de uma vez. Vocês dois. E me deixam em paz logo. Você também meu filho, vão! Vão, e sejam felizes. Eu vou para o meu quarto, e quando eu sair de lá, não quero ver mas ninguém aqui, entendeu? Ninguém! – Muito abalada, Mirely vai para seu quartro e se tranca nele.

Todos se entreolham. Em seguida Gedeon vai para seu quarto arrumar suas coisas, e logo depois César e Isadora também. 

CENA 03 – PENSÃO – QUARTO 39  

Depois de já está acomodado na nova moradia, Cristiano abre e porta e beija Magali, que entra:

Magali: Meu amor, eu não acreditei quando você mandou a mensagem com esse novo endereço. Porque você veio pra cá?

Cristiano: Não dava mais pra viver sob o mesmo teto que minha mãe, Magali! Pra Dona Luma, ela é sempre a dona da razão! Como tava sem grana, foi o único lugar que consegui pagar.

Magali: Oh meu Deus, e tudo isso por minha casa…Se não fosse o Zildo, eu te levava pra lá. Ai que ódio! Se eu já tivesse formada, tudo seria tão diferente.

Cristiano: Calma. Não precisa se culpar. Daqui a pouco você se forma, eu consigo um emprego e nós vamos nos casar e viver nossa vida. Chega de viver preso na barra da saia da minha mãe. Eu quero liberdade, Magali. Eu quero comprar algo e dizer que foi com o suor do meu própio trabalho. E eu sei que vou conseguir. E se você me ajudar, vai ser muito mais fácil.

Magali: Oh, mas é claro que vou te ajudar, Cris! Te amo meu gostoso (Risos) Vamos ficar sempre juntos. Sempre! – Diz e beija o amado, que lentamente lhe joga na cama.

CENA 04 – FACHADA PRÉDIO MIRELY – EXTERIOR – NOITE

César e Isadora estão saindo do prédio, com suas respectivas malas na mão. Um olha para o outro, e não sabem pra onde ir. César para um táxi e se prepara para entrar:

Isadora: Espera aí – Diz puxando César pelo braço – Pra onde é que você vai?

César: Vou seguir o meu caminho.

Isadora: E eu?

César: Isso não me interessa mais!

Isadora: (Surpresa) O que? Eu não acredito que você vai fazer isso comigo…

César: No que você acredita, ou deixa de acreditar, não faz a menor diferença pra mim. Fica bem, tá? Até qualquer dia – Diz em seguida entra no táxi, que parti.

Isadora fica ali, no meio da rua de malas na mão e com o coração partido. Ela chora, mas prende o choro. Tenta ligar para sua amiga, Drica, mas o celular descarregada. Ao olhar para os lados, ela não sabe o que fazer, então começa a andar pelas ruas, sem rumo e chorando. Um choro de raiva, de arrependimento, e também de dor. Uma dor na alma. 

CENA 05 – MANSÃO GARCIA – SALA – INT

Luma está tomando um vinho. Sentada elegantemente na maior tranquilidade. Karla chega rapidamente e vai direto subindo as escadas em direção ao quarto:

Luma: Êpa! Volta aqui minha filha. Aonde você pensa que vai?

Karla volta, e se direciona a mãe.

Karla: Mãe, eu tô muito cansada. Tive um dia cheio hoje, tá? Só quero dormi.

Nesse momento, Paco, que estava atrás de uma curtinda, puxa karla e lhe coloca uma mordaça na boca. Pêga de surpresa, ela se bate e começa enquanto olha pra mãe.

Luma: Calma, minha filha, calma. É para o seu bem!

Karla olha fundo nos olhos da mãe, sem entender. E fica surpresa quando ver Jaciane, surgir também no local.

Jaciane: Confortável aí, Karla? Eu sei que você adora falar. Mas ouvir os outros, é muito bom também! Segura ela, Paco. Porque agora, é eu e você! – Diz ao se aproximar, ficando diante da jovem.

CORTA PARA: 

 CA3

Curta a fan page de “Clichê Adolescente 3” e fique por dentro do que vem por aí >> Fb.com/clicheadolescente

ADNTV

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s